Arquivo da categoria: Fala, Vitória!

Coluna do Escritor vitoriense Sosigenes Bittencourt

ONDE ESTÁ A POESIA? – por Sosígenes Bittencourt

O poema é a poesia contada. O poema é a linguagem da poesia. A música é a poesia tocada. A música é o som da poesia. A pintura é a poesia pintada. A pintura é a cor da poesia. O … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

No tempo de eu menino – por Sosígenes Bittencourt.

A castanha é um mimo da natureza que mais se acumplicia com a nossa infância, o seu sumo, o seu aroma, o seu formato, o seu sabor, sua fumaça quando explode no fogaréu. O caju também. Caju vermelhinho, amarelinho, rechonchudo e de delicada protuberância, … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Efeitos do Frevo – por Sosígenes Bittencourt.

O frevo me arrepia as cerdas do coração. Lembra-me o tempo de eu menino. Abstraído, vou andando pela calçada, com medo de me perder na multidão. Fui passista de rua; hoje, sou passista do ar. Sosígenes Bittencourt

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Saudade Gostosa – por Sosígenes Bittencourt

Uma amiga do peito (ab imo pectore) postou no facebook que estava sentindo uma “saudade gostosa” no primeiro domingo do ano. Pois bem… Saudade gostosa é poesia, é uma embriaguez natural, promovida por “droga” cerebral. O nosso sistema límbico é responsável … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Brother é Brother – por Sosígenes Bittencourt.

Se você se juntar com uma mulher e se deitar na calçada, debaixo de um lençol, e confeccionar uma cópula, pode contar com a presença da Polícia. Você será recambiado, a bordo de camburão, até a Delegacia, para responder por … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

CARNAVAL E CONFUSÃO – por Sosígenes Bittencourt.

Cuidado para você não pensar que está brincando Carnaval e estar mergulhado numa Confusão. Há quem brinque Carnaval para se DISTRAIR, e há quem brinque Carnaval para se DESTRUIR. Essa semana, desfilou um bloco que não parecia estar brincando Carnaval, … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Carnaval no tempo de eu menino.

  O frevo me arrepia as cerdas do coração. Lembra-me o tempo de eu menino. Abstraído, vou andando pela calçada, com medo de me perder na multidão. Ontem, fui passista de rua; hoje, sou passista do ar. Sosígenes Bittencourt

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Santo Antão do Deserto – por Sosígenes Bittencourt.

Santo Antão (251-356) foi um santo cristão do Egito, considerado santo em carne viva, pelos milagres que operou. Foi um anacoreta que seguiu à risca o Evangelho, doando todos os bens que possuía e recolhendo-se no deserto. Por isso, é considerado … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Carnaval no tempo de eu menino – por Sosígenes Bittencourt.

Quando eu era menino, as orquestras do Clube Abanadores O Leão e do Clube Vassouras O Camelo mediam força na Praça Duque de Caxias. O estandarte do Camelo havia sido confeccionado por PEDRO RAMALHO, e o estandarte do Leão por HONÓRIO TUNGÃO. Aí, a … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

CARNAVAL SEM MALDADE – por Sosígenes Bittencourt.

Carnaval é bom quando deixa saudade. Carnaval é bom sem maldade. Carnaval foi feito para distração. Carnaval não foi feito para destruição. Por isso, é preciso brincar com a alma desarmada. Amor sem maldade é a melhor brincadeira do mundo. … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Minha fantasia – por Sosigenes Bittencourt.

A minha fantasia é original e não me custa um tostão. Estou fantasiado de coroa, e o alfaiate é o tempo. Embora, sem neto, posso ser o avô das meninas, sobretudo das solteironas casadoiras e das separadas esperançosas. A música … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Carnaval em Vitória de Santo Antão – por Sosígenes Bittencourt.

Tenho lido muitas críticas ao Carnaval de Vitória e queria dar um pitaco. De início, Vitória de Santo Antão precisa implantar uma safena administrativa no coração da cidade. A Praça da Bandeira é uma artéria infartada de barracas de alvenaria, loteada pelos prefeitos, num … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Trio e Frevo – por Sosígenes Bittencourt.

Bom salientar, pessoal, que a história do TRIO ELÉTRICO começa em Salvador, em 1951, quando DODÓ e OSMAR contratam outro músico, formando um trio, e saem em cima de uma FUBICA tocando FREVO PERNAMBUCANO. Era uma homenagem ao que aconteceu no ano … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

CARNAVAL E CARNAVALIZAÇÃO – por Sosígenes Bittencourt.

Você pode brincar Carnaval, não pode carnavalizar a vida. Carnaval é uma festa, não é uma lei, é escolha, não é obrigação. Brincar Carnaval não significa impor seu ritmo, sua vontade à vontade dos outros, submeter os demais aos seus caprichos. O … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

AMOR E VÍCIO – por Sosígenes Bittencourt.

Amor sincero de mulher já resgatou muito marmanjo do vício. O amor embriagador de uma mulher já resgatou muito marmanjo do alcoolismo. Não se combate vício humilhando o viciado, mas pregando-lhe a verdade com respeito. É a única forma de … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

CAPIBA NO CÉU – por Sosígenes Bittencourt.

Lourenço da Fonseca Barbosa * Surubim: 1904 + Recife: 1997 Capiba chega ao céu. Sorridente e de braços abertos, penetra sem kit no bloco de Nelson Ferreira, Irmãos Valença e Felinho. Ao som de Vassourinhas, de Matias da Rocha e … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

A IMAGINAÇÃO VIAJA MORCEGANDO PARA-CHOQUE DE CAMINHÃO.

O camarada arrumou uma mulher de vida fácil, colocou na boleia do caminhão e danou-se a desfilar pela cidade. A mãe ficou indignada. Quanto mais ela reclamava, menos o camarada ouvia, apaixonado pela sujeita. Um dia, em total respeito a … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Efeitos do Frevo – por Sosígenes Bittencourt.

O frevo me arrepia as cerdas do coração. Lembra-me o tempo de eu menino. Abstraído, vou andando pela calçada, com medo de me perder na multidão. Fui passista de rua; hoje, sou passista do ar. Sosígenes Bittencourt

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

E por falar em tristeza – por Sosígenes Bittencourt.

Eu sou meio ruim de tristeza. Pelo contrário, carrego uma certa alegria n’alma que, muitas vezes, confundem com falta de seriedade. Porque o importante não é a tristeza que você sente, mas o que você pode fazer com a tristeza que … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

PALAVRA E OLHAR – por Sosígenes Bittencourt.

A amizade pode ser externada num OLHAR, mas a PALAVRA é o relato do sentimento. Contudo, se a PALAVRA for falsa, o OLHAR poderá externar o sentimento. Sosígenes Bittencourt

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Inveja e Sucesso – por Sosígenes Bittencourt.

Não há sentimento bom nem ruim, mas o resultado daquilo que você faz com o sentimento. Por exemplo, INVEJA é um sentimento positivo quando invejamos o BELO e buscamos reproduzir. Muita gente fez sucesso na vida imitando. O ser humano é um … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

CELESTIAL E TERRENAL – por Sosígenes Bittencourt.

Os israelitas passaram 40 anos caminhando pelo deserto. O seu alimento vinha do céu, era o maná. No entanto, quando tentaram armazenar o maná, ele apodreceu. O alimento celestial era para ser consumido num dia. Isto significa dizer que quem guarda para o … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

FRAGMENTOS – No Túnel do Tempo – por Sosígenes Bittencourt.

Há 30 anos O ano tem 1 dia dedicado às mães e 364 dedicados aos filhos. A Reforma Agrária seria mais bem feita se nascesse da ótica do boi. O Jogo do Bicho é a coisa mais honesta do mundo; … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

O SMARTPHONE E O HOMEM – por Sosígenes Bittencourt.

O céu já não é tão longe, está na tela do smartphone. O amor já não é tão longe, está na tela do smartphone. O beijo já não é tão longe, está na tela do smartphone. O desejo já não … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

CUIDADO COM JANEIRO – por Sosígenes Bittencourt.

Obviamente que eu não diria “cuidado com o Natal”, porque o nascimento de Jesus não tem nada a ver com isso. Porém, diria que é preciso segurar a emoção com o lado consumista da festividade, para em janeiro não estar … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

OS ABUTRES DE GARANHUNS OU OS COZINHEIROS DO DIABO.

Nem o Conde Drácula, que chupava sangue humano para sobreviver, deglutia papinha de carne de defunto. Drácula era mais higiênico, menos seboso, chupava gente viva, saboreava tudo fresquinho. O Vampiro da Transilvânia penteava os cabelos, andava de paletó engomado. Certa vez, … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Pensar e Sentir – por Sosígenes Bittencourt.

Sentimento é pau-mandado, depende do pensamento. O coração é o termômetro da emoção, a mente é que ama. Pensar é tão rápido que você pensa que SENTIU e NÃO PENSOU. É preciso pensar no que se sente, mas, sobretudo, pensar … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

DESEJO E BOM-SENSO – por Sosígenes Bittencourt.

O homem não deseja o que é Bom e Belo, ele deseja um objeto. Portanto, é preciso avaliar o que se deseja, pois desejo não tem bom-senso. Ou seja, uma vez satisfeito o desejo, o que se desejava não passa … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

NINGUÉM MELHOR DO QUE OS AMIGOS – por Sosígenes Bittencourt.

Ninguém melhor do que os amigos para relembrar o que nunca esquecemos. Ninguém melhor do que os amigos para nos auxiliar a redigir a nossa história. Ninguém melhor do que os amigos para rejuvenescer ainda que estejamos envelhecendo. Porque ninguém … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | 1 comentário

ENSINAR E EDUCAR – ESTUDAR E APRENDER – por Sosígenes Bittencourt.

 No meu tempo, Ensinar e Educar eram palavras bem definidas. Ensinar significava, pela origem da palavra, “imprimir conhecimento”, e Educar, pela origem da palavra, preparar para a vida, preparar para o mundo. Daí, a primeira escola do homem ser o … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | 1 comentário