ELEIÇÕES 2016: A Câmara está dividida em equipe “A” e equipe “B”.

33

As eleições municipais para prefeito, vice-prefeito e vereadores só ocorrerão no próximo ano (2016). Mas, para quem tem pretensão de disputar algum cargo, no próximo pleito, o prazo para se filiar ao partido político da sua preferência, termina este ano, mais precisamente em setembro.

Pois bem, deixando de lado o cargo para prefeito e vice-prefeito, gostaria de falar um pouco da engrenagem eleitoral dos candidatos proporcionais, ou seja: ELEIÇÃO PARA VEREADOR. Aqui e acolá as pessoas, sobretudo as que são de alguma forma ligadas ao mundo político, me abordam para falar sobre a possibilidade do aumento de vagas na nossa Casa Legislativa.

Sobre a quantidade de vagas, desde que seja dentro da legalidade, sou favorável ao maior numero possível, por dois motivos básicos:

Primeiro: não há aumento de custo para os cofres públicos, pois o dinheiro a ser repassado pelo Executivo sempre será o mesmo, independente da quantidade de vagas. Segundo: com mais vereadores na casa, apesar dos pesares, existe, de fato, uma maior representatividade da comunidade, até porque, no regime democrático como o nosso,   esta é a finalidade da Câmara Legislativa.

Socrates-Democracia-Grega

Comentou-se na internet, recentemente, que a maioria dos vereadores, até agora, não sinalizaram interesse pelo aumento das vagas, uma vez que cabe a eles, nossos legítimos representantes, a opção de aumento. Dos atuais 11 assentos, segundo cálculos do amigo Elias Martins, em função do volume da nossa população, pode-se avançar para 13, 15, 17 ou até 19 vagas.

Muito bem, em uma analise muito particular, que não levarei em consideração à atividade parlamentar e muito menos o número de requerimento apresentado, e sim, apenas à questão eleitoral, PODENDO INCLUSIVE, CADA CIDADÃO OU ATÉ OS  PARLAMENTARES CITADOS TEREM UM OLHAR DIFERENTE DO MEU – acho que  uma parcela de vereador (menos experiente)  está  “comendo corda” da outra parte  mais ” NINJA” para manter a nossa Câmara com apenas 11 vagas.

Todos sabem que com apenas 11 vagas a dificuldade na renovação do mandato, pelo menos para uns seis vereadores da atual legislatura, torna-se uma missão quase impossível. Vejamos:

Podemos dividir o atual  quadro de vereadores em duas equipes. A equipe “A”– aquela que renova o mandato em qualquer situação (11 ou até 19 vagas) – e a equipe “B”, ou seja: aquela que vai depende de maiores variáveis para manter-se  “sentado” na  casa.

equipea

Na minha modesta avaliação, a equipe “A”, ou seja: aquela que se elege em qualquer situação, é formada pelos seguintes vereadores: Baú Nogueira, Edvado Bione, Novo da Banca, Duda de Pacas e Doutor Saulo. Neste grupo, todos já renovaram mandatos com expressivas votações, aliás,  todas crescentes.

Já a equipe “B”, é formada pelos  outros integrantes da bancada, ou seja: Geraldo Filho, Sandro da Banca, Edinho, Edmo Neves,  Danda da Feijoada e Toninho. Neste grupo, com a exceção do vereador Edmo Neves, nenhum alcançou dois mil sufrágios no último pleito, apesar de a maioria ter também aumentado sua votação, de uma eleição para outra.

equipeb

Alguém, então, poderia perguntar: Pilako, Edmo foi o segundo Vereador mais votado da última eleição e porquê  não estaria na equipe “A”? Simples de responder:

De todo os vereadores da casa, o único que mudou de patamar, no que diz respeito à estrutura de campanha, foi justamente o Edmo. Ou seja: Na eleição passada a máquina administrativa municipal “carregou” ele nos braços. Edmo, como todos devem lembrar, “pilotou” durante a primeira gestão do Governo de Todos a folha de pagamento do município, “bondades eleitorais” que não terá na próxima eleição.

A prova da tendência da desidratação eleitoral do referido Edil já pode ser observada quando o mesmo, juntamente com outro vereador, o Edinho, e outras lideranças como o ex candidato a prefeito, Jailton Albuquerque, não conseguiu repassar uma votação à altura da soma das suas votações para o deputado federal Jorge Corte Real, mesmo com a boa estrutura montada pelo parlamentar na nossa cidade. Sendo assim, acredito que ele esteja jogando,  atualmente,  no time da equipe “B”.

Pois bem, existe “um pessoal” da equipe “A” que vem colocando na cabeça do pessoal da equipe “B”, sobretudo àqueles menos experientes, que a manutenção das 11 vagas é o melhor para todos se manterem no poder. Equação, aliás, que na minha avaliação só se adéqua  aos vereadores que jogam no time da equipe “A”.

O pessoal da equipe “B” precisa colocar as “barbas de molho”, pois eles tem que raciocinar que concorrerão diretamente, na próxima eleição, com pelo menos uma dúzia de candidatos que irão entrar no “jogo” com força eleitoral, dinheiro no bolso e  alguns  até com muita vontade de voltar.

Apenas como alguns  exemplo, dentre essa dúzia,  concorre com grandes possibilidades de “engolir” os vereadores da equipe “B”, os seguintes candidatos: Romero, Marcone da Charque, Mano Holanda, Pedro Queiroz, Henrique Filho,  André Carvalho (candidato do Grupo Aposente)   e etc.

10402508_1544687232477323_2870981672004516959_n

Apenas para se ter uma ideia de como nossa Câmara de Vereadores está em descompasso com as outras cidades, caso mantenha as 11 vagas, a Câmara de Vereadores do município de Serra Talhada, por exemplo, que está contida numa cidade com praticamente metade do número de eleitores da nossa (51.236) acabou de aprovar o aumento de duas vagas para a próxima legislatura, ou seja: saiu  de 13 para 15, quanto que a nossa cidade, Vitória de Santo Antão, com um eleitorado de 98.500, quase o dobro, só dispõe atualmente de 11 vagas na Câmara.

Portanto, para os vereadores que jogam na equipe “B”, não custa nada avisar: PIOR DO QUE FAZER CAMPANHA E NÃO CONSEGUIR SER VEREADOR, É SER VEREADOR, FAZER CAMPANHA E DEIXAR DE SER VEREADOR, OU SEJA: SER OBRIGADO A CEDER  SUA CADEIRA PARA QUEM ESTÁ FORA DA CASA SENTAR.

Obs: fica aqui aberto o espaço para os parlamentares que se sentiram injustiçado com nosso enquadramento eleitoral, ou seja: equipe “A” e “B”.

Publicado em A Lupa, Editorial | 1 comentário

Risco iminente de acidente.

Aos motoristas e motoqueiros, assim como pedestres e ciclistas, estamos alertando para o perigo iminente de acidente no cruzamento das Ruas 15 de Novembro com Prefeito José Joaquim da Silva, próximo ao Largo da Estação.

IMG_0164

O problema é o seguinte: neste local o asfalto está afundando. Portanto, ao passar no local o cuidado deve ser redobrado. Quanto aos técnicos da prefeitura, que tem obrigação de observar tudo isso, vamos aguardar para vê se vai ser preciso acontecer algum acidente para só assim ser tomada alguma providência.

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

Eunice Xavier: Pedro Ferrer.

O Presidente do Instituto Histórico e Geográfico da Vitória, professor Pedro Ferrer, lamentou a morte de Dona Eunice Xavier – Presidente de Honra da Instituição – dizendo: “ Durante vinte anos como presidente do  nosso Instituo ela foi aconchegante e perseverante”. Veja o vídeo:

Publicado em Editorial | Deixar um comentário

Relatório dos Bichos – Junho/2015

pilako-

01/jun Bois Major Expedito/CAIC Internauta
05/jun 02 cavalos Caja Blog
18/jun 01 Cavalo Mario Bezerra Internauta
26/jun 02 jumentos Av. Henrique de Holanda Blog
30/jun 02 cavalos Cuzcuz Internauta
30/jun 02 jumentos Cuzcuz Internauta
Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

Uma introdução ao Jiu Jitsu Vitoriense.

18.10.2014

Na primeira fileira, da esquerda para a direita, Daniel Melo, Alexandre Santos, Thomas Filho, Emerson Martins, Deco (André Felix) e Aquiles Carlos. No extremo esquerdo, de baixo para cima, também temos algums figuras importantes na história do Jiu Jitsu, José Aldo, Otávio Nunes, Master (Thiago Silva) e Paulo Arthur.

Poucos sabem, mas existe um cenário cada vez mais forte no Jiu Jitsu Nacional e Internacional em nossa cidade. São mais de 15 anos de luta – dentro e fora dos tatames -, onde os irmãos Arquiles Carlos e Alexandre Santos enfrentaram inúmeras dificuldades e, até mesmo, períodos onde apenas os dois treinavam no tatame, esperando o momento em que mais alguém passaria pela porta perguntando: “É aqui que se treina Jiu Jitsu?”

Para começar, é importante lembrar que eles não enfrentaram todas estas dificuldades sozinhos. Havia outros trilhando com eles o caminho da Arte Suave (significado do termo Jiu Jitsu). Os irmãos vitorienses encontraram o Professor Deco e Emerson Martins (na época ainda aluno do Professor Deco, mas em breve uma das pessoas mais importantes para o Jiu Jitsu do estado de Pernambuco). Estes trouxeram de Recife para Vitória a bandeira da Kezen, e assim começou nossa história no Jiu Jitsu.

As coisas andavam, cresciam, e o Jiu Jitsu cada dia ficava mais forte na nossa cidade, mas ninguém estava preparado para os imprevistos. Como diz na parábola do semeador: mesmo que se semeie a melhor das sementes, e ela eventualmente caia no solo bom e venha a germinar, nada pode preparar o semeador para a tempestade que vem no dia antes da colheita [parafraseado]. E as tempestades vieram. A Kezen deixou de existir, e mais uma vez, estávamos sem bandeira para nos representar.

Acontece que a escola precisa de uma bandeira, uma linhagem, e esta precisa ser reconhecida pela CBJJ (Confederação Brasileira de Jiu Jitsu), para que possa ensinar Jiu Jitsu aos seus alunos. Sem bandeira, não havia possibilidade de ensinar a Arte. Muito tempo depois, conseguimos trazer a Gracie Barra para Vitória, com a ajuda de Isaque Ferreira, da Ferreira Color, criamos mais um centro de treinamento, na cobertura de seu prédio na Av. Mariana Amália. Porém, mais uma vez veio a tempestade, e a Gracie Barra não pode continuar na nossa cidade. Foi quando Vitória de Santo Antão conheceu a melhor equipe do mundo.

Amizades feitas dentro do tatame são difíceis de esquecer, pois na corrente do Jiu Jitsu elos fracos são rompidos logo cedo. E aquele rapaz que veio com o Professor Deco para a nossa cidade, acompanhando ele como aluno, para aprender e dar um apoio quando o professor chamava, era agora faixa preta sob a bandeira da GFTeam. Emerson Martins não hesitou na hora que foi convidado, veio de Prazeres e trouxe consigo um grande amigo seu, Daniel Melo e sua Equipe de Pombos, para Vitória.

Depois de muita luta, dificuldade e persistência. Os irmãos Arquiles Carlos e Alexandre Santos foram graduados com a Faixa Preta pelo Mestre Emerson Martins, grande sonho de qualquer atleta de Jiu Jitsu, e hoje têm um Centro de Treinamento com mais de 60 atletas treinando Jiu Jitsu diariamente em Vitória de Santo Antão. Com horários de manhã, à tarde e à noite, uma turma exclusiva para crianças nos sábados das 9 às 11 horas, e uma parceria firme com a Associação Francisco Fernandes de Judô, o nosso Jiu Jitsu está mais forte do que nunca.

Recentemente, o CTA da Vitória (Centro de Treinamento e Artes Marciais), enviou quatro atletas com passagem e hospedagem pagas para lutar o Campeonato Brasileiro da CBJJ, um dos maiores campeonatos no cenário nacional, em São Paulo – SP. Outros dois atletas, por amor à arte, foram por conta própria, totalizando seis vitorienses presentes nesta competição, dos quais dois deles voltaram com medalhas, mostrando a força do nosso Jiu Jistu.

O jovem Emerson Martins, hoje faixa preta com 2 graus, foi selecionado para ensinar nos Emirados Árabes Unidos, em um programa criado pelo Khalifa Bin Zayed Al Nahyan para introduzir o Jiu Jitsu à todos os integrantes da Força de Defesa da União, exército nacional dos E.A.U. Nos Emirados, o Jiu Jitsu já havia sido introduzido para todas as escolas como disciplina obrigatória, passiva à reprovação do aluno. Agora, é a vez dos militares passarem pelo mesmo processo, e Vitória está fazendo parte desta história.

Ou Seja: poucos em nossa cidade sabem, mas temos muito que nos orgulhar dos frutos sendo colhidos atualmente – Nacional e Internacionalmente. Foram muitas dificuldades, muitos obstáculos e tempestades no nosso caminho, mas é como mais uma vez a parábola disse: “Mas outras [sementes] caíram na boa terra e, brotando e crescendo, davam fruto[…]” Ao perguntar à Alexandre Santos qual o próximo fruto a ser colhido no Jiu Jitsu Vitoriense ele disse: “Queremos formar um Campeão Mundial em 2016.” E pelo visto, o céu está limpo.

Confira abaixo os horários do CTA Vitória para as turmas de Jiu Jitsu:

Terças e Quintas
Manhã 6h às 7h:30 – Professor Master [Marron]

Tarde 17h:30 às 19h:30 – Professores Alexandre Santos e Arquiles Carlos [Pretas] Instrutor: José Robson [Marron]

Noite 19h:30 às 21:30 – Professor Paulo Arthur [ Marron]

Segundas, Quartas e Sextas

Noite 21h:00 às 22h:00 – Professor Paulo Arthur [ Marron]

Sábados

Manhã/Crianças 9h:00 às 11h:00 – Professor Paulo Arthur [Marron]

Tarde 15h:00 às 17h:00 – Treino dos Graduados [Todos os Professores]

Tarde 17h:00 às 19h:00 – Treino dos Faixas Brancas [ Todos os Professores]

Assessoria de imprensa do CTA – Jiu Jitsu

Publicado em Editorial | Deixar um comentário

Palinha do Leo dos Monges – João e José

João e José
(Martinho da Vila e Diogo Nogueira)


Ô João, ô João
Seu chará batizou Cristo
Cristo batizou João
Lá no Rio de Jordão… lá no Rio de Jordão

Se João também soubesse
Quando em junho é seu dia
Viria do céu pra Terra
Todo cheio de alegria
Soltando foguetes joão
Fazendo festejos
E tanta fogueira
Que queimava o mundo
Diz a lenda
Que queimava o mundo

Por falar em mundo João
Como vai o mundo João
Esse nosso mundo João
Que é de todo mundo João
Anda João, vamos João, diga João
Fala

Não tá mole não, José
Esse mundo louco
A televisão mostra sempre um pouco
Bala de canhão e bomba de troco
Bem pertinho irmão lá do Rio Jordão
Bem pertinho irmão lá do Rio Jordão
Mas a salvação José, é nossa Rosa do Povo
Que dá ao povão
Horizonte novo
Jogo de Barão é Rosa do Povo
O nosso sambão é Rosa do Povo
Esse seu sorriso, José, é Rosa do Povo
O Vasco, o Mengão, é Rosa do Povo
Rosa do violão, é Rosa do Povo
– Então que seria João, do povo sem rosa?
– É, nem haveria José
Essa nossa prosa
É José, é João, é Drummond, é paixão
É o irmão, é o amor, linda flor
Em botão

leo

Leo dos Monges

Botão RSB

Publicado em Palinha musical | Deixar um comentário

Momento Cultural: Vitória, princesa matuta! – por Henrique de Holanda

Henrique de Holanda Cavalcanti (3)

VITÓRIA,
minha terra!…
Princesa original
da família real
de Pernambuco!
Toda essa burguesia que se encerra
dentro de ti, dentro de tua gente,
vem do Brasil caduco,
deste velhinho doente,
burguês e visionário.
No seu progresso cívico e moral,
a burguesia é um mal hereditário
Não há preservativo p’ra esse mal.

VITÓRIA,
minha princesa matuta,
garotinha “mignon”, vaidosa e linda,
repetindo, contente,
a grande história de Tabocas;
gloriosa na luta,
p’ra aquele que não a conhece ainda.
Olho o teu céu…
este teu céu bonito,
a boina azul, presente do Infinito;
para a tua cabeça de criatura,
dona da formosura,
amena e singular;
dos dias de sol quente
e da noite dolente
de luar…

Cidadezinha elegante, bem nutrida,
sagaz, insinuante, bem vestida…
tuas florestas de árvores viçosas
nos mostram bem que a natureza quis
aos vestidinhos verdes,
muito lindos,
especialmente vindos
do atelier mais “chic” de Paris…

Vitória linda,
extremamente minha!
De ti, me veio a vida
e, mais ainda,
uma infância de risos e inocência.
– O b-a bá, cantado…
as resingas constantes do recreio,
o Catecismo onde encontrei a essência
mais preciosa desse meu passado!
O meu passado…
….dos cavalos de pau pela Rua do Meio
do gamelo no ar, do peão de ponteira,
do fandango, do anzol, das cavalgadas,
do desafio ao sol, apostando carreira,
dos barcos de papel nas enxurradas!…

Terra sentimental!
Eu ainda te escuto
na voz emocional de Siá Tomásia!…
Siá Tomásia…
a mãe preta que Deus mandou p’ra mim,
as histórias mais lindas me contava
e me embalava, assim:

“Bichinhos do mato, tinô,
anda de gibão, tinô,
pezinho calçado, tinô,
outro no chão, tinô.”

Vitória dos meus dias,
onde bendigo as minhas incertezas,
onde minh’alma se compraz com a dor!
tu me embalas nas tuas alegrias,
para divinizar minhas tritezas,
terra do meu amor!

Vitória,
calçadinha de lírios e verbenas,
é a choupana rústica da glória
onde reside a grei dessas morenas
que lá do céu mandada
quis, p’ra Vitória,
o poético esplendor
de inspirar muito amor
e de ser sempre amada!

Vitória!
Um cofre de guardar ventura.
A menina gentil, boa e inocente,
inteligente e pura,
virgemzinha “da silva”…
e essa gente
essa gente ruim só abre a boca
para falar do “flirt”
Ah! que ideia louca!
Que história!
Mas que povo patife!
Da princesa Vitória
Com o príncipe Recife.

(Muitas rosas sobre o chão – Henrique de Holanda – pág. 17 a 20).

Publicado em Fim de Semana Cultural | Deixar um comentário

Momento PITÚ

11062936_958296427524062_7317955565820430199_n

Simbora, ‪#‎NaçãoPituzeira‬, que hoje é sexta e o bicho vai pegar!

Agora se ligue que não é pra beber tudo de vez não, vú!? Tem o fim de semana todinho…

Publicado em Anúncios | Deixar um comentário

Vereador Geraldo Filho comenta no blog

Comentário postado na matéria “Comerciante reclama do serviço da Zona Azul“.

Lázaro, quando da criação da Zona Azul em nossa cidade no ano de 2012, estava previsto na Lei a possibilidade das funcionárias da Sinal Park efetuar essa cobrança, que eles chamam de Aviso de Irregularidade e que caso não haja o pagamento do mesmo seria gerado um auto de infração pela AGTRAN.

Apresentamos na Câmara uma nova proposta que foi aprovada e sancionada para que se respeitasse as Leis de Trânsito, que determina primeiro que toda a multa tem de ser verificada “in loco” pelo agente competente, as funcionárias dessa empresa que administra o estacionamento rotativo em nossa cidade não possui competência para tal, apenas os Agentes de Trânsito e Policia Militar tem para autuar, desde que, respeite a verificação da infração presencialmente.

Geraldo Filho

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

O Tempo Voa: INAUGURAÇÃO DA ESCOLA MOCOTO EM 31-03-74

O TEMPO VOA - INAUGURAÇÃO DA ESCOLA MOCOTO EM 31-03-74 - ENTRE OUTROS BARRETO, ANTONIO AGEU E JETRO GOMES

INAUGURAÇÃO DA ESCOLA MOCOTO EM 31-03-74 – ENTRE OUTROS BARRETO, ANTONIO AGEU E JETRO GOMES

Publicado em O Tempo Voa | Deixar um comentário

Comerciante reclama do serviço da Zona Azul

lazaro

Publicado em A Lupa, Editorial | 2 comentários

Momento Grau Técnico Vitória

11700557_871892426191980_9048142128516144417_o

Um Técnico em Administração é um profissional versátil, necessário em todo setor administrativo, seja ela do setor público ou privado.‪#‎GrauTécnico‬ ‪#‎Administração‬

SERVIÇO
Grau Técnico Vitória
Rua Henrique de Holanda, 1210 – Centro
Vitória de Santo Antão (Antiga BR232).
TEL: (81) 3526.4099

Publicado em Anúncios | Deixar um comentário

Hoje na História – 03/JUL – Por Tadeu Prado

HNH 03062015 Pilako (2)

Publicado em Hoje na História | Deixar um comentário

O bom tratamento

O ser humano é cativo do bom tratamento.
Há diferença entre VER e OLHAR, OUVIR e ESCUTAR.
Olhar é ver com atenção. Escutar é ouvir com atenção.
Há quem conquiste, mostrando.
Há quem conquiste, olhando.
Há quem conquiste, falando.
Há quem conquiste, escutando.
A paciência é a maior das virtudes,
porque não há virtude sem paciência.

Sosígenes Bittencourt

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Vanildo de Pombos

A inesquecível interpretação e a saudade da voz marcante de VANILDO DE POMBOS, cantando a música Vaquejada da Vitória, composta por Samuka VoiceBenedito de Cachoeirinha e Aldenisio Tavares.

Vaquejada da Vitória - Vanildo de Pombos

Aldenisio Tavares

Publicado em Vitória dos Artistas | Deixar um comentário

Grave problema de saúde pública continua.

Nossas lentes registraram nas proximidades da FAINTVISA, na noite de ontem (01), uma porca se alimentando de lixo em plena via pública e, evidentemente, promovendo a maior sujeira.

IMG_0161

O prefeito Elias Lira e Veraluci Lira, sua sobrinha e secretária de saúde do município, continuam ignorando este grave problema de SAÚDE PÚBLICA na nossa cidade. Não seria, portanto, nenhuma ofensa perguntar aos dois gestores se, caso os porcos se ALIMENTASSEM, CAGASSEM E MIJASSEM nas calçadas das suas respectivas casas,  os mesmo ficariam satisfeitos?

Secretária de Saúde Dra. Veraluce Lira – Foto: Portal da Prefeitura de Vitória

Secretária de Saúde Dra. Veraluce Lira – Foto: Portal da Prefeitura de Vitória

Pois bem, se a resposta for sim, É MENTIRA. Portanto, eu gostaria de saber o motivo pelo qual, até agora,  esse problema  não foi resolvido?

Sendo assim, sou obrigado a abrir a “Jaula do Elias” e zerar nosso contador dos bichos.

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

Redução da Maioridade Penal

Em meio a essa polemica sobre a redução da maioridade penal, cabe analisar alguns pontos para contextualizar o leitor, senão vejamos:

A Câmara dos Deputados colocou novamente em pauta de votação, PEC(Projeto de Emenda Constitucional), que reduz de 18 para 16 anos a idade penal para crimes hediondos, homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte. Para virar lei, o texto ainda precisa ser apreciado mais uma vez na Casa e, depois, ser votado em outros dois turnos no Senado.

O Presidente da Câmara, após a rejeição na noite anterior, afirmou que a Casa ainda teria que votar o texto principal, mas ressaltou que isso só ocorreria após o recesso parlamentar de julho. No entanto, após reunião com parlamentares favoráveis à redução da maioridade penal, ele decidiu retomar a análise do tema nesta quarta e apreciar um texto parecido com a proposta rejeitada.

Dadas essas informações, passamos observar outros pontos acerca do momento em que se dá o encaminhamento de tal proposta.

Mesmo diante da aparente aprovação popular da redução da maioridade penal, nota-se que a Câmara e o Legislativo em si, usa dois pesos e duas medidas quanto à temas relativos ao projeto.

São propostas vazias de planejamento à longo prazo, assim como foi com a propostas aprovadas para reforma política. Ou seja, passam longe de significar uma reforma.

A mesma Câmara que reexamina matéria de redução de maioridade penal, reprovada no dia anterior, aprova tranquilamente redução de 1/3 do orçamento da educação, bem como dos gastos públicos. E nessa conta, o Governo Federal também tem culpa. E o que isso tem haver com a maioridade pena? Tudo!

Considerando ser uma nova forma de política social, aplicar penas à menores de 18 anos, o poder público carece também  de novas de políticas de incentivo à educação e mais ainda, na acomodação desses novos presidiários, afim de que a ressocialização seja possível.

Ainda mais, estudos comprovam que o melhor momento para apreciação desse tipo de matéria é durante prosperidade econômica, e não em momento de crise. Ou seja, momento estritamente inoportuno. Mas, aproveitando-se do clima de instabilidade institucional do executivo, o legislativo tenta recuperar sua imagem outrora arranhada, sem prever as consequências disto.

aposente

Publicado em Aposente | Deixar um comentário

Dona Eunice Xavier: Henrique Queiroz.

O deputado Henrique Queiroz lamentou a morte da Presidente de Honra do nosso Instituto Histórico e Geográfico dizendo: “ela defendia Vitória com todas as forças como se tivesse defendendo sua família”. Veja o vídeo:

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

Internauta Célia Cruz comenta no blog

Comentário postado na matéria “Internauta Arthur de Andrade interage com “Fábio Kachorrão”.“.

Texto preconceituoso. Trabalho é trabalho, o texto desrepeita um pai de família que ajuda muita gente que precisa. E que trabalha pra da sustento a sua família muito respeitada por sinal. Não estou aqui no dever de defende-lo faria com qualquer um.. mas não há como haver democracia sem que haja divergência de pensamentos. Respeitem as pessoas trabalhadoras nao ha nada de ilega ate onde sei kchorrao nao estava em serviço. O expediente dele se encerra as 13h. Se informem! Pilako n sei cede espaco a gente assim.

Celia Cruz

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

“BENEFÍCIOS DA EDUCAÇÃO MUSICAL NA SOCIEDADE DO FUTURO” – por João Bosco

Em primeiro lugar, estou  esclarecendo que, talvez algumas  pessoas não aprovem o modo como estou expressando, analisando e apresentando algumas fórmulas, caminhos, onde enriqueça cada ser social contido em uma sociedade de dificuldades, falta de oportunidades e etc.  O foco em si deste artigo, é justamente direcionar a abrangência multidisciplinar, e, deste modo aproximar no que diz respeito,  ao fator aprendizagem/pedagógico/social de modo geral.

A população e a sociedade Vitoriense de modo geral, talvez não saibam, mas existiu uma pessoa que durante as décadas de 70, 80 e 90, mesmo com poucos recursos, dedicou sua vida a ensinar a Arte dos Sons. Estou me referindo ao ensino da música. Esta pessoa foi o Maestro Aderaldo Avelino da Silva  –  Seu  Aderaldo  –   que dedicou sua vida ensinando os  conhecimentos  básicos da teoria musical e, a prática dos instrumentos de sopros, tais quais: clarineta, piston   (trompete ), saxofone alto Eb, saxofone tenor  Bb,  bombardino, trombone de pistos,  trombone de vara (tenor) sem rotor, tuba Bb, tuba Eb, requinta Eb. Instrumentos de percussão:  pandeiro, caixa clara, tarol, bombo, surdo e etc. E o que é mais importante é que, hoje,  existem músicos formados pela batuta do Maestro Aderaldo Avelino, nas seguintes posições profissionais: Banda de Música  da Polícia Militar do Estado de Pernambuco,  Banda de Música da Marinha do Brasil, Banda de Música do Exército Brasileiro,  Banda de Música da Aeronáutica.  Sem esquecer também, de diversos músicos que tocam em Orquestras, Bandas de Forró e etc.  Além do ensino musical, ensinava também aos alunos a ser um cidadão de bem, a ser um homem no futuro, cumpridor do dever, e, do direito social.

musico

Infelizmente, em 1994, afastou-se dos ensinos musicais. Estava ali naquele momento, a Educação Musical preparando e contribuindo com a formação social da sociedade do futuro. A Rua André Vidal de Negreiros,  n 235 , a   ” Rua da Águia”,  não é mais a mesma, não existe mais os  expedientes,  tais quais: 2a, 3a, 4a e 6a pela manhã, aula e, 5a ensaio pela manhã e, aos sábados a noite,  o ensaio geral com toda a Orquestra.  Acredito que, era a única Escola de Música da cidade da Vitória de Santo Antão, PE, era  o   ” Conservatório de Música ” da Vitória de Santo Antão, PE, podemos até dizer,   a  ”  Faculdade de Música ” da Vitória de Santo Antão, PE.  Quero dizer sem dúvida alguma,   quem  estudou com seriedade, aprendeu música  de verdade. Tenho muitas saudades daqueles momentos musicais, me fortaleceram intelectualmente para toda minha vida social e profissional.

Não generalizando  –  onde seria até prejudicial e sem fundamento  –   existem pessoas em pleno século  XXI, que não conhecem o poder transformador e formador de pessoas, existente dentro da Educação Musical.  Mesmo com todo avanço tecnológico e, divulgações referentes a educação escolar  –  formação regular  –   do Ensino Fundamental I,  II e o  Ensino Médio, ainda é deficiente em algumas regiões do Estado de Pernambuco, como também, em vários Municípios de Pernambuco, a atenção e a aplicação desta ciência pedagógica.

A  Educação Musical, na qualidade de ciência, trabalha o ser humano de forma  que o mesmo,  ao ingressar no aprendizado não ficará apenas em aprender um simples instrumento musical. Um instrumento musical simples e com seu valor para compra  –   em razão aos outros instrumentos musicais  existentes  –  que é bastante simbólico, é a flauta  doce.  A princípio, a flauta doce ao ser soprada,  terá um som de um apito qualquer sem parecer ter nenhum significado, porém, é  neste momento que entrará  em  cena o educador musical para começar o trabalho de preparação, polimento, acabamento na formação deste ser social do futuro, onde poderá ser uma criança, um jovem ou um adulto.

Quando o trabalho direciona a crianças e jovens, teremos outros  benefícios pedagógicos também, por exemplo: melhora no aprendizado de disciplinas, tais quais:  Matemática, Física, Português e etc.  Não esquecendo de considerar também que, ajuda o aluno  a pensar rápido e, mesmo que esta pessoa não queira continuar, ou seja, tornar-se um músico profissional, mas só pelo fato  do  contato com  a Educação  Musical, o ajudará em seu aprendizado do futuro, como ser humano e social. Conforme escrevo no primeiro parágrafo  deste artigo, esta ciência é multidisciplinar. O  processo é a longo prazo, porém, tem um significado.

Outro fator importante também, é a formação dos educadores musicais para trabalharem nesta tão árdua missão, de resgatar e transformar seres  humanos.  Acredito que os Municípios, devem  batalhar  para conseguir capacitação do nível Licenciatura em Educação Musical, preparando os educadores com uma outra Graduação, onde  sempre haverá no Corpo Docente, vários ou alguns com vocação para a  área musical.  O  Município precisa  entrar em contato  com o MEC – Ministério da Educação e Cultura – abordando esta problemática em busca da aplicação  do curso de música.   Visando assim, por em prática  a  Lei  11.769 de 18 de agosto de 2008,  onde o ensino da música retornou a sala de aula.

Temos  então duas linhas de abordagens, a primeira abordagem focaliza crianças e jovens, e a segunda abordagem, na formação de educadores do ensino regular das redes de ensino.  Porque tanto  a população existente em comunidades carentes, quanto os educadores  das  redes públicas de ensino, serão beneficiados com a Educação Musical em sua formação acadêmica.

O Município da Vitória de Santo Antão, PE, precisa urgentemente de uma Faculdade de Música, para preparar seu Corpo Docente na ciência musical,  para que não seja preciso que seus educadores, seus habitantes, precisem deslocar até a cidade de Recife, PE, em busca de formação superior musical. Ou então, uma parceria com Faculdades, Universidades, que ministram cursos superiores de Música, Educação Musical  na modalidade a Distância, e, poderia Vitória de Santo Antão, PE, ser um Pólo de apoio para as correções presenciais dos trabalhos monográficos.

Acredito que, este será o ponto de partida para o progresso acadêmico musical, na Terra de Mariana Amália e  das Tabocas.

João Bosco do Carmo

Publicado em Editorial | Deixar um comentário

Internauta J. S. Machado interage com Arthur Andrade

Comentário postado na matéria “Internauta Arthur de Andrade interage com “Fábio Kachorrão”.“.

Arthur, parabéns pela resposta. A forma e o conteúdo do que você escreveu deixa bem explícita a diferença que a educação, ou a falta dela, faz na vida do cidadão. A princípio achei estranho o fato de um sujeito com tão baixo nível de educação frequentar assiduamente sessões da Câmara, e até suspeitei do que o levaria a tal feito, mas você esclareceu e confirmou a minha suspeita. Prá concluir, também acho que o kachorrão deveria estudar mais, prá não passar tanta vergonha ao emitir comentários, nem viver dependendo de babações a políticos, pois ele e a sociedade lucrariam muito mais.

J.S. Machado

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

Momento Cultural Aprofundamento – GUSTAVO FERRER CARNEIRO

Gustavo Ferrer Carneiro

Tira-me da ignorância
Mostra-me tua palavra
O verbo inconsciente
De quem sente
Ou mente
Algum demente

Mostra-me o amor
Na despedida
Um dia encontraremos
Na falha da vida
De quem fez
A falha de Santo Andrez

Perdidos dentro de si
Em busca do alguém
Confesso que não sei
Ou sei

Quem sabe?
Bebo de suas dúvidas
E compartilho
Exploro nas próprias veias
No sabor dos gestos
Mesmo indigesto

Descubra
Me cubra, me cobra
Essa é minha obra
Em busca do meu
Do seu
Do nosso
Amor…

(MOSAICO DE REFLEXÕES – GUSTAVO FERRER CARNEIRO – pág. 16).

Publicado em Fim de Semana Cultural | Deixar um comentário

Momento PITÙ

11232990_958296314190740_958015736144465175_n

E a turma reclamando do inverno, mai mininu!

Vida boa é assim: pega uma prainha com o litroso do lado. Pros meninos lá de Maceió, não tem tempo ruim, não, môvei! Os cabras sabem curtir a vida. Dále Sergio Rickardo e Gustavo Henrique, os maiores#Pituzeiros da Praia do Francês.

Publicado em Anúncios | Deixar um comentário

O Tempo Voa: Debutantes 2001

Debutantes felizes ao lado do ator da Rede Globo, Henri Castelli – Foto: JORNAL VITÓRIA HOJE – ANO II – Nº21 – NOVEMBRO DE 2001

Publicado em O Tempo Voa | Deixar um comentário

Internauta M.Polo comenta matéria do Blog

Comentário postado na matéria “Internauta comenta na matéria do Aposente“.

Este movimento Aposente não passa de um grupo inconsistente de desatentos, que se auto intitulam “paladinos da justiça” que se aproveitam da retórica mudancista, para utilizá-la como truque eleitoral. O se colocou como “cavaleiro Arturiano” André Carvalho, se apropriou/apropria da pauta do Transporte Universitário, para fazer política de botequim. Ideologicamente não consistem. Seus ideários se resumem resultar assento numa cadeira legislativa. Esta desonestidade com os menos atentos, é vista numa declaração onde o proselitismo leviano, atacam até mestres professores que acompanharam eles próprios?!. Ora, teremos então uma classe ariana, a qual todos nós meros descumpridores da “lei paladina” passaremos pelo estreito corredor polonês de mancebos? A honestidade deste grupo, repito, é uma Farsa!

MPolo

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário