Em pleno coração da cidade, placas de sinalização de trânsito, “brigam entre si”.

Dias atrás, ao passar caminhado pela Rua Melo Verçosa, reparei, próximo ao Posto Cidade, uma cena que bem representada a bagunça no trânsito do nosso município. Fixadas em um mesmo poste, existem três placas, relativas ao disciplinamento e ordenamento do trânsito que “brigam” entre si.

placa

Diz uma placa, que é padrão da sinalização de trânsito,  que no local é  proibido estacionar veiculo.

Uma outra placa, convencionada pela Gestão do Governo de todos para determinar os Pontos Fixos  de mototaxis,  “explica” que aquele local,  é um dos pontos.

Já a terceira placa fixada, repassa uma informação difusa que, na minha modesta opinião, mais confunde que esclarece. Diz a placa: PROIBIDO ESTACIONAR – EXCLUISIVO MOTOTAXI – POSTO CIDADE.

moto

Observemos, então, a incoerência existente nas informações daquelas sinalizações e que portanto, as fazem “brigar entre si”, e o que é pior, deixar os condutores dos veículos, principalmente os que  não são da cidade, totalmente  DESINFORMADOS E CONFUSOS. Vamos às informações:

1º- Se no local é proibido estacionar qualquer veiculo, como pode haver uma placa indicando que é ponto de mototaxi? Como é, então, que as motos poderiam ficar paradas no seu ponto, se não é  permito se estacionar?

2º- Se tem uma placa indicando que é ponto de mototaxi, como pode, então, CONSTAR UMA PLACA DE PROIBIDO ESTACIONAR?

3º – A placa com informações desencontradas, certamente foi confeccionada para deixar “bem claro” que só quem pode estacionar, por cima da calçada naquele local, são os mototaxistas daquele ponto, ficando assim, proibido qualquer mototaxistas, de outro ponto, estacionar naquele local,  por cima da calçada.

Vale salientar que a AGTRAN, já já completa dois anos que foi criada, e, ao que parece, continua ainda se estruturando. Certa vez, disse aqui pelo blog: Elias Lira não tem o menor respeito pelo amigo Hildebrando.

Outra coisa curiosa, é que esta “briga de sinalização” acontece em um dos cruzamentos mais movimentados do centro, em pleno coração da cidade. Fica a pergunta, então: é falta de capacidade, falta de estrutura ou falta de interesse mesmo?

mm07

O engraçado disso é  que o numero do ponto do mototaxi é o 007, o que nos faz lembrar das famosas aventuras do agente mais famoso do cinema, pois, se ele viesse atuar em nossa cidade muitas coisas entraria nos eixos.

007-dry-martini

Para encerrar, gostaria apenas de dizer: não fiquem com raiva do blog do Pilako e do Jornalismo do SBT, fiquem com raiva da gestão anterior – Governo Que Faz – pois,  foi quem fez este planejamento para a cidade e, ao que parece,  a gestão do Governo de Todos, simplesmente, continua dando prosseguimento no que já havia sido traçado pelo folclórico ex-prefeito José Aglailson. É mais ou menos por aí……Eu já falei disso outras vezes.

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

Descompasso Colossal

Na manhã de ontem (30) nossas lentes flagraram as margens da Avenida Henrique de Holanda, mais precisamente em frente ao Posto Shell Baiana, três cavalos pastando naturalmente.

cavalo

Como se pode vê, os muitos acidentes, provocados por animais soltos nas vias públicas, que vitimaram motoristas e motoqueiros em nossa cidade, inclusive com mortes, não serviram como lição pedagógica para os condutores  da gestão do Governo de Todos.

São cenas como esta, que revelam o descompasso colossal em que vive nossa cidade. De um lado, as empresas que chegam sintonizadas com lançamentos de créditos e débitos de carbono, do outro, uma administração pública que opera nos modais do século 19. É lamentável.

Nem vou precisar abrir a “jaula do Elias“, pois a mesma, no dia de hoje, já está aberta e nosso contador dos bichos também já foi zerado.

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

Falta sentimento com as coisas da cidade…

No blog do Inaldo Sampaio, hoje (31), li a seguinte nota:

Ajuda – Antes da viagem a Roma, o governador João Lyra Neto enviou projeto à Assembleia Legislativa autorizando a concessão de uma subvenção social, mensal, à Academia Pernambucana de Letras, no valor de R$ 20 mil, para a preservação do seu patrimônio.

Muito bem, dias atrás participei do evento comemorativo do 9º ano de fundação da AVLAC (Academia Vitoriense de Letras, Artes e Ciência). Na ocasião, os oradores que se reversaram na tribuna destacaram às dificuldades de se promover cultura na cidade.

AVLAC

A instituição nasceu do sonho e da ação do abnegado vitoriense, Melchisedec. Ao longo destes nove anos a AVLAC foi presidida pelas professoras Severina Andrade de Moura, Valdinete Moura e Lúcia Martins (atual presidente), teve como acadêmicos, entre tantos nomes de destaque na cultura local, o Poeta Dilson Lira.

Pelo que me consta, até o presente momento, a AVLAC continua INVISÍVEL aos olhos do  poder público municipal, tanto na questão financeira quanto na  questão institucional. Claro,  do prefeito Elias Lira, sobre este tema em tela, não podemos esperar muita coisa, contudo, no seu governo existem alguns “grilos falantes” nesta área…….. vamos esperar para vê até quando a gestão Governo de Todos vai continuar ignorando a referida  instituição.

Publicado em Editorial | 1 comentário

Nova Política: DA BOCA PRA FORA.

Acredito que uma das notas, veiculada no blog do Magno, hoje (31), interessa a uma expressiva parcela de vitorienses que sufragaram nas urnas, a “pedido” do prefeito Elias Lira, o nome do deputado federal André de Paula nas eleições do último dia 05 de outubro. Diz a nota:

20141030072937_cv_3

André avermelhou– Embora tenha votado em Marina no primeiro turno e em Aécio Neves no segundo turno, o presidente estadual do PSD, deputado federal eleito André de Paula, anunciou, ontem, que estará alinhado ao partido no apoio ao Governo Dilma. Já na próxima quarta-feira ele participa de uma reunião para afinar o discurso neopetista. (Blog do Magno)

Como se vê, o ex-pefelista André de Paula, que recentemente subiu nos palanques vitorienses para engrossar a voz da NOVA POLÍTICA, rapidamente, esqueceu de quase tudo que disse. Picado pela chaga do adesismo, André não está tomando o caminho que  desejou seus eleitores que, no primeiro turno votou em Marina e depois em Aécio na intenção de expulsar a turma do PT do Palácio do Planalto. André de Paula, portanto, já está contemplado com a sua “bolsa adesão” e você que votou nele? Continue chupando dedo…

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

Jorge Esteves: Almoço em Família.

IMG_0174

Agora já pouco, por volta do meio dia, registramos no Restaurante Spargus, localizado no centro comercial da cidade o empresário, Jorge Esteves, almoçando com seus filhos Ítalo, Vilma e Palloma. Jorginho, como é carinhosamente chamado pela maioria dos seus amigos, sempre que pode, recomenda aos seus conhecidos o blog do Pilako.

Publicado em Editorial | Deixar um comentário

Internauta Sylvyo Augusto flagra porco nas ruas

Bom dia Pilako, mais uma vez venho mostra os porcos na rua Manoel Borba,lembrando que não temos apenas porcos pelas ruas temos também uma situação bem pior que é uma pocilga na zona urbana sem obedecer nenhum critério tecnico para essa criação, pois existe um que é a portaria 711/95. Mais como sempre nossa prefeitura não dar muita atenção a Saúde de seu povo.

Sylvyo Augusto

Portanto, mais uma vez, iremos abrir a “Jaula do Elias” e zerar o contador.

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

Internauta João do Livramento comenta no blog

Comentário postado na matéria “Recordar é Viver: No tempo de eu menino“.

Quanto mais escuto ou leio Sosígenes Bittencourt e outros vitorienses contemporâneos, me convenço de quê a secretaria de cultura de Vitória de Santo Antão, está sendo ocupada por pessoas que “talvez” tenham capacidade de formar um segundo escalão de uma secretaria de associação de bairro.

João do Livramento

Publicado em Editorial | Deixar um comentário

Palinha do Léo dos Monges: AZUL DA COR DO MAR – TIM MAIA

AZUL DA COR DO MAR – TIM MAIA
AUTOR: TIM MAIA

Ah!
Se o mundo inteiro
Me pudesse ouvir
Tenho muito pra contar
Dizer que aprendi

E na vida a gente
Tem que entender
Que um nasce pra sofrer
Enquanto o outro ri

Mas quem sofre
Sempre tem que procurar
Pelo menos vir achar
Razão para viver

Ver na vida algum motivo
Pra sonhar
Ter um sonho todo azul
Azul da cor do mar

Mas quem sofre
Sempre tem que procurar
Pelo menos vir achar
Razão para viver

Ver na vida algum motivo
Pra sonhar
Ter um sonho todo azul
Azul da cor do mar

leo

 

 

Leo dos Monges

Publicado em Palinha musical | Deixar um comentário

Secretaria Municipal de Saúde realiza Campanha de Vacinação Antirrábica para cães e gatos

vacina2

Postos Fixos:

Bela Vista – (Praça) – Em frente ao Posto de Saúde

Bela Vista II – Loteamento de Bau em frente ao Bar de Luizinho

Maués – No Galpão da Feira ao Lado da Unidade de Saúde

Lídia Queiroz – No Galpão da Feira

Água Branca – Galpão da Feira

Petrobras – Na Praça

Rua Amarela – Na Praça

Cemitério – Em Frente ao Cemitério

Livramento – Coreto em Frente à Igreja do Livramento

Matriz – Praça

Pinga Fogo – Praça

Mangueira – Praça

Militina – Vizinho à Farmácia do Trabalhador

Posto Volante – Veículo Itinerante nos Bairros

Publicado em Editorial | Deixar um comentário

Momento Cultural: A Missão de uma Estrela – por ALBERTINA MACIEL LAGOS

Profª Albertina Maciel de Lagos

Para a mui querida, Maria Stela de Oliveira Freitas (Telinha)

Uma estrela, conheço, pequenina
térreo astro-humana criatura;
a sua luz a todos ilumina
em gestos de Bondade e de Ternura!

No entanto, o Sofrer que desanima…
a sua alma encheu de Amargura;
mas a Fé que alenta e reanima
a sua Dor transforma em Ventura!

Sorridente, jamais se desviou
da Senda que o Eterno nos traçou
do Sinai, no Decálogo divinal.

Um dia… aureolada, a Stelinha,
luzirá com a Luz que não definha,
na posse, feliz, da Pátria Eternal!

(SILENTE QUIETUDE – ALBERTINA MACIEL LAGOS – pág. 38).

Publicado em Fim de Semana Cultural | Deixar um comentário

O TEMPO VOA: VISITA DO PRÍNCIPE D. PEDRO E DE SUA ESPOSA A PRINCESA D. ESPERANÇA – SETEMBRO DE 1954

O TEMPO VOA - VISITA DO PRINCIPE D PEDRO E DE SUA ESPOSA A PRINCESA D

VISITA DO PRINCIPE D PEDRO E DE SUA ESPOSA A PRINCESA D. ESPERANÇA – SETEMBRO DE 1954 – IGREJA DA MATRIZ

Publicado em O Tempo Voa | Deixar um comentário

Internauta Stephem Beltrão comenta no Blog

Comentário postado na matéria “Momento Cultural: Boca Doce – Por Stephem Beltrão

Meu amigo Pilako – O Jornalista dos Poetas – muito obrigado por mais esta divulgação. Este xote é uma das mais de cem músicas que fiz e registrei na Biblioteca Pública do Rio de Janeiro, faz parte de minha estrada, tão bem iniciada em nossa querida Vitória de Santo Antão. Hoje mesmo vou postá-la no face para que nossos coterrâneos possam escutá-la! Espero que gostem. Obrigado!!!

Stephem Beltrão

Publicado em Editorial | Deixar um comentário

MOMENTO PITÚ: Hoje tem!

momento-pitu

1463306_647398225280552_1873175752_n

Publicado em Anúncios | Deixar um comentário

NÃO RIA SE PUDER

- Painho, deixa eu ir para a festa do Halloween!
- Pra ver o que no Halloween, meu filho?
- Pra ver as bruxas, painho!
- Não precisa, meu filho.
- Por que, painho?
- Você já dorme com a sua mãe todas as noites, meu filho.

Sosígenes Bittencourt

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Brunno Cesar

bruno-capaOuça a música “Final Feliz” na voz do cantor Bruno Cesar.

Final Feliz - Brunno Cesar

Aldenisio Tavares

Publicado em Vitória dos Artistas | Deixar um comentário

Bate papo na Sorveteria Peixe: “de briga de Galo à extração de Nióbio, passando por carnaval”

No final da tarde de ontem (29), ao passar pela calçada da tradicional Sorveteria Peixe, localizada na Rua 15 de Novembro, centro comercial da cidade, encontrei os amigos Roberto e Jairo Medeiros dialogando, de pronto, o Doutor Jairo chamou-me para fazer parte do grupo que, logo em seguida, foi aumentado com a presença, do também amigo em comum, professor Franklim.

IMG_0145

Pois bem, com este quarteto papeando, só consegui sair de lá por volta das 21h. Falamos de tudo um pouco, como se diz no popular: “de briga de galo à extração Nióbio”. Mas, o assunto mais duradouro da “roda”, girou em torno da história da nossa cidade.

Em outras mesas distribuídas no salão, ao longo do tempo, outras “rodas” se formaram. Em um delas estava o amigo Ozias Valentim que esteve no local por ocasião de um banner que havia mandado confeccionar em homenagem aos 60 anos de fundação do estabelecimento e que foi entregar ao amigo Manoel Peixe. No momento da oferta, Ozias pediu-me para que tudo fosse devidamente registrado para ser postado em nosso Jornal eletrônico.

peixe

Neste rápido encontro casual que tive com Ozias, o mesmo falou-me que estava saindo do “forno” uma medida governamental por parte do município, por ele confeccionada, atinente aos festejos carnavalescos que se avizinham, na tentativa, claro, de organizar a festa.

Muito bem, me resguardei e não procurei saber maiores detalhes sobre o assunto com o amigo Ozias, pois, como já falei, a matéria ainda se encontra no forno. Mas, pensei depois com “meus botões”, seja lá o que for que tenha no bojo dessas medidas, nada poderá ser pior do que as “novas regras” impostas pela própria prefeitura no carnaval deste ano – 2014 – onde a festa maior dos vitorienses (Carnaval) conseguiu receber a nota MAIS BAIXA da sua secular história.

É importante lembrar que a gestão do Governo de Todos  “pilotará” seu sétimo carnaval consecutivo e, convenhamos, não conseguiu  ainda deslanchar. O Secretário Municipal da pasta, responsável pelo carnaval, Paulo Roberto, é um sujeito que  não gosta de festa e muito menos das MOMESCAS. É autoritário e intolerantes, não é afeiçoado ao diálogo, muito menos aceita sugestão de quem quer que seja, atua como uma espécie de MONARCA ABSOLUTISTA.

Nas reuniões mais importantes do carnaval deste ano, por exemplo, ele não compareceu, preferiu ser representado por duas neófitas carnavalescas (Cilene e Ana Paula). Nas reuniões realizada, pós-carnaval, onde se teve por objetivo fazer uma avaliação, ele se furtou de comparecer, portanto, para o carnaval de 2015, toda comunidade carnavalesca espera que os nossos gestores ponham a mão na consciência – se é que existe – e baixe a bola para reconhecer que eles  NÃO SÃO OS DONOS DO CARNAVAL DA VITÓRIA, aliás, neste caso, o mal que  desejo A TODOS  é que sejam acometidos de uma CRISE DE LUCIDEZ .

Publicado em A Lupa, Editorial | 1 comentário

Tocando o Gado – por João do Livramento

Untitled-3

Seria realmente um espetáculo de democracia todo o processo eleitoral realizado no Brasil, acerca de toda a tecnologia utilizada, onde é apurado o resultado do pleito em questão de horas e que vale apena salientar que esta tecnologia é genuinamente tupiniquim. Como também é louvável a dedicação dos cidadãos envolvidos no processo, tornando-o não só possível como também viável, e evidentemente a participação do povo, para quem este evento é organizado e é, o único dia em que verdadeiramente a população detém o poder em suas mãos, porém ela o tem como quem está de posse de uma arma sem a mínima perícia para usa-la.

Quando o presidente do TRE pronuncia suas palavras dizendo que “o processo eleitoral foi um sucesso”, entenda sucesso no que se refere aos trabalhos no dia da eleição, e não o processo de um modo geral, pois sabemos que na verdade o que temos é um processo eleitoreiro onde podemos identifica-lo já na dança das coligações onde o único critério obedecido é o toma lá, dá cá, para além de outras coisas garantir o maior tempo possível no guia eleitoral que deveria à bem da democracia, dispor um tempo igual para que todos os candidatos pudessem expor suas ideias e projetos.

Com a imaturidade e a ignorância do eleitor Brasileiro, fica muito fácil para a grande mídia controlar seu voto, quando a massa tem como prioridade em sua vida, o próximo capítulo da “sua novela”, o jogo do seu time de futebol ou ainda o BIG BOSTA BRAZIL (perdão), sem esquecer que temos o jornalismo da Rede Globo que se faz de paladino da justiça, mas que na verdade omite informações e às que divulga o faz de forma tendenciosa, nada de anormal, se levarmos em conta a cartilha da família Marinho, à qual teve o seu mentor Roberto Marinho muito bem comparado por Leonel Brizola quando em entrevista à BBC de Londres falou “Roberto Marino é o Stalin das comunicações, quem não concorda com ele é mandado para a Sibéria”. É por esses e tantos outros motivos que pesquisa eleitoral não deveria existir no Brasil, pois influencia diretamente no resultado das eleições.

Também temos que fazer uma leitura da real importância do voto para as cadeiras do legislativo, que é colocado em segundo plano ou muitas vezes ignorado pela maioria dos eleitores em detrimento do voto executivo. De forma que os eleitores ainda trazem em sua concepção, resquícios da monarquia para a República, esperando o grande salvador que na verdade antes e depois de ser eleito vai ter que fazer acordos escusos, nomear para cargos de diversos escalões sem critério técnico algum os indicados pelos partidos que o apoiaram. É por isso que afirmo que vivemos num regime parlamentarista disfarçado de presidencialista onde o eleitor não tem ciência de que votar com coerência para o legislativo é tão ou quiçá mais importante que o voto para o executivo. Pensem nisso!

João do Livramento.

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

Debate eleitoral na vida real.

Dois dias depois de todo Brasil tomar conhecimento de quem comandará seus destinos pelos próximos quatro anos, participei, juntamente com os amigos Aldo, Dilson Jr, Baxinha  e Rochinha, de um debate acalorado sobre os resultados eleitorais do segundo turno do pleito presidencial.

IMG_0136

Neste debate, sem mediadores ou regras estabelecidas, uma vez que o encontro se deu por obra e graça do santo padroeiro da cidade, o Glorioso Santo Antão, não existiu frases de efeito, meticulosamente preparada  por marqueteiros,   fabricadas  em cima de   pesquisas qualitativas de opinião pública.

Neste debate informal, onde todos falaram com a voz do coração os argumentos usados,  de parte a parte,  foram muito mais sentimentais do que racionais. Sem o compromisso do voto e sem a existência das câmeras para reproduzir, em tempo real, o “espetáculo  eleitoral”, finalmente, viu-se que a verdade pode ganhar da mentira.

Portanto, ao final deste encontro, podemos dizer que todos nós saímos vencedores, uma vez que as amizades foram preservadas e os conhecimento dilatados, pois, como dizia Dom Helder Câmara: “Se discordas de mim, tu me enriqueces.”

Publicado em Editorial | Deixar um comentário

Vitoriense lança livro no Instituto Histórico

moisaico

O Instituto Histórico e Geográfico e a Academia Vitoriense de Letras, Artes e Ciência convidam V.S. e distinta família para participarem da noite de autógrafo e de lançamento do livro do nosso conterrâneo Gustavo Ferrer Carneiro: MOSAICO  DE  REFLEXÕES.

Mosaico de Reflexões, que será apresentado pela escritora Luciene Freitas, é um grito de angústia, esperança e de saudade.

Saudade da Vitória de Santo Antão que ficou impregnada em nossos corações.

Dia: 7 de novembro

Hora: 19,30 h

Local: Salão Nobre do IHGVSA – Rua Imperial 187.

Publicado em Editorial | Deixar um comentário

Internauta João Fernando flagra porco

“Porco no cajá, na manhã de hoje, 29.10.2014″ – diz o internauta João Fernando, que flagrou o bicho fuçando lixo.

Portanto, mais uma vez, iremos abrir a “Jaula do Elias” e zerar o contador.

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

“VERGONHA NA SAÚDE PUBLICA DE VITORIA “- pelo internauta Wellington Andrade

Esta madruga foi cometido de forte dores abdominas,sendo levado ate o HOSPITAL JOAO MURILO DE OLIVEIRA,por volta das 02:30 da manha,foi feita a ficha rapidamente e mandaram aguardar,sendo sempre bem atendido por segurança e pessoal de limpeza que sempre perguntavam como eu esta pois estava com muita dor e lagrimas nos olhos. Fique la por volta de uma hora em pe sem aparecer o medico que estava dormindo,e nem sequer uma auxiliar,tecnica nem tao pouco enfermar para verificar nem a pressão,pois tinha uma que dormia na sala ecg,outra no repouso e duas conversando besteira que dava para ouvir mas não teve a capacidade de verificar uma pressão. o numero protontuario foi 2014|E2098337,o segurança diise que iria colocar paciente se evadiu do hospital. MEDICO TEM,HOSPITAL TEM,ENFERMAGEM TEM,SO NÃO TEM GENTE QUERENDO TRABALHAR.

Wellington Andrade

Publicado em A Lupa, Editorial | Deixar um comentário

MOMENTO CNA VITÓRIA

10477550_655588874559456_126434579609379461_o

Dia 01 de novembro está chegando, já sabemos quem vai animar a festa. O CNA Gravatá te espera às 22h.

E você já garantiu seu ingresso?

SERVIÇO
CNA Vitória
Escola de idiomas
Rua Silva Jardim, 257, 55612-400 Vitória de Santo Antão – PE
081 3526-4400

Publicado em Anúncios | Deixar um comentário

Momento Cultural: Ser Filha de Maria – por Corina de Holanda

Corina de Holanda

Ser “Filha de Maria” é ser na terra,
Quase aquilo que os anjos são no céu;
Viver do amor que só pureza encerra
Contemplando a Jesus quase sem véu…

Ser d’Ele irmã, viver ao lado seu
Na intimidade que o pavor desterra;
Dizer: Meu bom Jesus, sois todo meu!
Ao pecado eu declaro guerra.

É possuir dos títulos o mais belo.
É ter, num traço azul, puro e singelo,
Fonte perene de eternal poesia…

Ser “Filha de Maria”, é tanta cousa
Sublime, tanta, que dizer não ousa,
Por ser bem pobre a minha fantasia.

(Entre o céu e a Terra – 1972 – Corina de Holanda – pág. 37).

Publicado em Fim de Semana Cultural | Deixar um comentário

O TEMPO VOA: Encanação da Praça da Rua Amarela – Década de 60

O TEMPO VOA - Encanação da Praça da Rua Amarela - Década de 60

Encanação da Praça da Rua Amarela – Década de 60

Publicado em O Tempo Voa | Deixar um comentário

Curiosidades Musicais: VINICIUS DE MORAES – por Léo dos Monges

poemas_e_poesias_de_vinicius_de_moraes (1)

Marcus Vinicius da Cruz de Mello Moraes (Vinicius de Moraes). Nasceu no Rio de Janeiro, 19 de outubro de 1913. Faleceu no Rio, 09 de julho de 1980, se vivo estivesse completaria cem anos no dia 19 de outubro de 2013.

Poeta essencialmente lírico, o que lhe renderia a alcunha de “poetinha”. Notabilizou-se pelos seus sonetos. Conhecido como um boêmio inveterado, fumante e apreciador de uísque, conhecido também por ser um grande conquistador.

Vinicius teve no campo musical como seus maiores parceiros: Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell, João Gilberto, Chico Buarque e Carlos Lyra.

Filho de Clodoaldo Pereira da Silva Moraes e Lidia Cruz. No fim da década de 1920 Vinicius de Moares produziu letras para dez canções, nove delas parcerias com os irmãos Tapajós. Sua primeira como letrista veio em 1928, quando compôs com Haroldo “Loira ou Morena”, gravada em 1933 pela dupla de irmãos. Vinicius teve publicado seu primeiro livro de poema, O Caminho para a Distância, em 1933 e lançou outros livros de poemas. Nessa década, foram também gravadas outras canções de sua autoria, como: Dor de Uma Saudade, O Beijo que Você Não Quis Dar, Canção da Noite e Canção para Alguém.

O ano de 1958 marcaria o início de um dos movimentos mais importantes da música brasileira a Bossa Nova. A pedra fundamental do movimento veio com o álbum “Canção do Amor Demais”, gravada pela cantora Elizeth Cardoso, além da faixa-título o antológico LP contava ainda com outras canções de autoria da dupla Vinicius e Tom como “Luciana”, Estrada Branca, Outra Vez e Chega de Saudade.

“Chega de Saudade” foi uma canção fundamental daquele movimento, especialmente porque o álbum de Elizeth Cardoso contou com a participação de um jovem violonista, que com seu inovador modo de tocar violão, caracterizado por uma batida, marcaria definitivamente a Bossa Nova e a tornaria famosa no mundo inteiro a partir dali. O nome deste violonista é João Gilberto.

CHEGA DE SAUDADE

Quando garoto, fazia concertos de piano para os meninos de sua vizinhança. A garotada não sabia, porém, que o instrumento – uma pianola – tinha um recurso automático que executava sozinho as canções. Vinicius apenas simulava a interpretação das peças.

Vinicius+de+Moraes+vmoraes7Fez seu primeiro poema aos 9 anos. Dedicou-o para uma menina chamada Cacy, por quem estava apaixonado na época, recebeu dos amigos o apelido “poetinha”. Formou-se em Direito em 1933. Também estudou inglês na Universidade de Oxford, na Inglaterra.

Casou-se nove vezes a primeira foi (Tati) Beatriz Azevedo de Melo, em seguida foram, Regina Pederneiras, Lila Maria Esquerdo e Bôscoli, Maria Lúcia Proença, Nelita Abreu Rocha, Cristina Gurjão, Gesse Gessy, Marta Rodrigues Santamaria e Gilda de Queiroz Mattoso. Em 1943, iniciou sua carreira diplomática ao entrar no Itamaraty. Foi vice-cônsul em Los Angelis (EUA) e atuou nos consulados da França e do Uruguai. Após a edição do Ato Institucional nº 05 (AI5), que deu poderes amplos à Ditadura dos Militares, todos os diplomatas brasileiros homossexuais e que tinha fama de festeiros foram aposentados compulsoriamente. Vinicius foi um deles, que de volta ao Brasil, fez questão de declarar “Eu sou um Bêbado!”.

Junto com o compositor Baden Powell, Vinicius se trancou em seu apartamento em 1962 para escrever músicas. Eles ficaram lá por duas semanas. Compuseram cerca de 20 músicas e beberam três caixas de uísque.

Vinícius de Moraes 05Ao lado de Antonio Maria, Vinicius atravessou a noite bebendo num bar em Copacabana, ao raiar do dia, foram ver o nascer do dia na calçada da praia e ficaram observando várias pessoas ali se exercitando uns correndo, outros caminhando e por alguns minutos ficaram os dois olhando e Vinicius falou para Antonio Maria, amigo vamos fazer pacto. Nunca mais iremos fazer nenhum tipo de exercício exagerado.

Morreu aos 66 anos. No dia anterior, um repórter lhe perguntou se estava com medo da morte. “Não, meu filho. Eu não estou com medo da morte. Estou é com saudades da Vida”.

Em parcerias ao longo de sua carreira Vinicius compôs várias músicas entre elas, A Arca de Noé, A Benção-Bahia, A felicidade, Água de Beber, Apelo, Aquarela, Arrastão, Berimbau, Canto de Ossanha, Carta ao Tom, Cavalo-Marinho, Chega da Saudade, Coisa Mais Linda, Eu Sei que Vou te Amar, Garota de Ipanema, Insensatez, Marcha da Quarta-feira de Cinzas, Minha Namorada, Onda Anda Você, Regra três, Tarde em Itapoá…

Garota de Ipanema, uma das canções mais conhecidas de mundo. Sentados no Bar Veloso, Tom Jobim e Vinicius de Moraes encantaram-se com a beleza da jovem Hellô Pinheiro, que passava por ali rumo à praia de Ipanema. E fizeram a música em homenagem a ela. Composta em agosto de 1962, foi lançada somente em março de 1963, tornando-se o maior sucesso da Bossa Nova. Originalmente a música chama-se “Menina que passa”.

GAROTA DE IPANEMA

Olha que coisa mais linda
Mais cheia de graça
É ela menina
Que vem e que passa
No doce balanço, a caminho do mar

Moça do corpo dourado
Do sol de Ipanema
O seu balançado é mais que um poema
É a coisa mais linda que eu já vi passar

Ah, porque estou tão sozinho
Ah, porque tudo é tão triste
Ah, a beleza que existe
A beleza que não é só minha
Que também passa sozinha

Ah, se ela soubesse
Que quando ela passa
O mundo inteirinho se enche de graça
E fica mais lindo
Por causa do amor

leo

 

Leo dos Monges

Botão RSB

Publicado em Curiosidades Musicais | Deixar um comentário