Arquivo da categoria: Fala, Vitória!

Coluna do Escritor vitoriense Sosigenes Bittencourt

Malhação e Galhação

Minha mãe tem razão quando diz que não assiste a novela porque a parte ruim pinta miséria o tempo todo para sofrer no fim. Na sua concepção é masoquismo. A questão é a seguinte: primeiro veio MALHAÇÃO para ensinar a DESRESPEITAR, e depois veio GALHAÇÃO que … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

O Papa no ninho dos profetas

É muita alegria do argentino Jorge Bergoglio e o israelense Benjamin Netanyahu, desfilando sobre um barril de pólvora. Lá onde Jesus pervagou o Gólgota e Ressuscitou, onde Maomé foi ter com Alá, arrimado ao arcanjo Gabriel, e os Judeus esperam oSalvador na Terra Prometida por Deus a Abraão. … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Palmada na Berlinda

Na realidade, palmada nunca educou ninguém, palmada causa rancor, e rancor não educa, ódio não educa. Agora, prender um pai porque deu uma palmada num filho, quando não atenderam ao pedido de socorro do pequeno Bernardo, é uma baita palhaçada. … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Gueixa, a sedução pela arte

Engana-se, redondamente, quem acha que a gueixa é uma versão oriental de nossa prostituta. A gueixa lá no Japão, e a prostituta aqui na esquina. Primeiro, porque para ser gueixa é preciso muitos anos de estudo, enquanto para ser prostituta não é preciso nenhum … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Mestre Mundo

O meu avô materno, Seu Ricardo Barbeiro, dizia que, quando o sujeito não aprende dentro de casa, Mestre Mundo ensina. Na realidade, tudo gira em torno da palavra EDUCAÇÃO. E a Educação pré-escolar dá-se no recesso do LAR, ou seja, … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Detrás de minha casa

Detrás de minha casa, de um alpendre, eu vejo os telhados das casas vizinhas, a rua lá embaixo, a serra lá longe, o céu escampo. À tarde, quando é verão, as nuvens relembram minha infância. Eu ficava vendo as nuvens … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Regulamentação da Prostituição

Prostituição é um tipo de comércio antiquíssimo. Porque quando um quer vender, e o outro quer comprar, só Deus na causa. E não precisa de regulamentação nem diploma. Escritor e prostituta são formados na vida. O escritor põe o cérebro nas páginas da literatura, e a … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Homenagem a Dilson Lira

Essa história de homenagear Dilson Lira é uma invenção arretada. E não custa parabenizar a Academia Vitoriense de Letras que promoveu Recital em sua memória. Se lá onde estiver, puder me ler, estará sorrindo, como sempre sorriu com minhas expressões. Faz pouco tempo, eu … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

O lidar com a AGRESSIVIDADE

Na realidade, o que está existindo é uma desorganização nas manifestações de protesto. As pessoas estão movidas pela emoção, cujo resultado pode ser bom ou ruim. Não existe emoção boa ou ruim, mas o resultado daquilo que fazemos com a emoção … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

No tempo de eu menino – Sentinela

Na realidade, Sentinela é o nome de fantasia da Citronela, uma planta aromática utilizada para produzir repelentes. A muriçoca detesta, o seu cérebro não aguenta. Formigas e baratas ficam enjoadas e dão o pira. Embora não seja agente causador de doença, diz que … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Ser Poeta

Essa história de ser poeta é dom.  Um bom dom.  O poeta não faz poesia com as flores,  com o mar,  com o céu,  sem a intenção de que você  habite sua poesia. Ou seja,  sinta o aroma das flores,  a imensidão do mar,  o mistério do infinito. Sosígenes … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Verdades e Mentiras

Às vezes, é melhor ouvir uma mentira que faça rir, do que uma verdade que faça chorar. Já nos basta A MORTE como incontestável verdade. Todos nós nascemos sem pedir e morremos sem querer. Há pessoas que escolhem a verdade exatamente porque magoa. Escolhem-na a … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Mãe

Mãe, até quem não a conheceu, lembra-se de se lembrar de quem nunca viu. Sosígenes Bittencourt

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Secando a Língua Portuguesa

Acredite se quiser. A escritora Patrícia Secco alterou o texto da obra de Machado de Assis para facilitar o entendimento dos alunos. Ela trabalha com crianças e adolescentes e já publicou mais de 250 títulos. Tudo sob os auspícios do Ministério da Cultura. Ora, substituir adjetivos … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Eu sonhei que estava no Recife Antigo

Eu sonhei que estava no Recife Antigo, na década de 80, às tantas da madrugada. Parava na esquina, puxava um Hollywood do bolso e acendia. Depois de soltar uma baforada, ficava pensando: por aqui já passou muita gente que já … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Stephen Hawking

Há um provérbio chinês que resume a atitude a ser tomada mediante o SABER e o NÃO-SABER: Aquele que não sabe e sabe que não sabe é humilde. Ajuda-o. Aquele que não sabe e pensa que sabe é ignorante. Evita-o. … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Linchamento é procedimento de bandido

Observem por que sou indignado com linchamento. “Fabiana Maria de Jesus, 33 anos, moradora do Guarujá, litoral paulista, morreu na manhã desta segunda-feira (5) por causa de um boato, espalhado na internet, de que havia uma sequestradora de crianças na … Continue lendo

Publicado em Editorial, Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Não ria se puder

Um dia, eu estava na Praça Leão Coroado, à Hora do Ângelus, numa roda de cervejeiros a filosofar, quando me apareceu um ex-aluno potencialmente embriagado: – Professor, o senhor fala difícil, é metido a sabido, mas os tapurus irão comer … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

A Febem além do Bem e do Mal

Fico curioso para saber qual o critério para selecionar as “FEBEMetes”. Mas, isso é só durante o piquenique. Logo, eles poderão voltar a fazer neném no meio da rua. Mas, quem pagará pelo programa e quem ditará o preço dofurdunço? As … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Da Bundomania Nacional

Por isso, deverá levar uns lapos lapos. Esta é a música da Bundomania Nacional, da Mulher Melancia e da dançarina do Créu em 6 rotações. Sosígenes Bittencourt

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Introjeção de norma e castigo

Antigamente, a juíza da infância e da adolescência era a mãe. Isso foi no tempo da palmatória. Escreveu, não leu, o pau comeu. Embora ninguém questionasse o valor da chinelada na educação doméstica, não me lembro de criança castigada com injeção letal. … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

No tempo de eu menino – Doce Japonês

Uma vez minha mãe disse a minha irmã que comida de rua era porcaria. Quando o doce japonês passou na porta de casa, minha irmã pediu a minha mãe: – Mamãe, compra porcaria pra mim. Comi muito as cocadas de dona Isabel, algodão … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Mestre Mundo

O meu avô materno, Seu Ricardo Barbeiro, dizia que, quando o sujeito não aprende dentro de casa, Mestre Mundo ensina. Na realidade, tudo gira em torno da palavra EDUCAÇÃO. E a Educação pré-escolar dá-se no recesso do LAR, ou seja, … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Não ria se puder

De tanto me dedicar aos dramas humanos, me esqueci de apreciar os bichos. Talvez, tivesse me decepcionado menos. Um dia, meu menino me perguntou: – Painho, o que é que aqueles porcos estão fazendo no meio da rua? – Porcaria, meu filho. … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Transparência

Um homem tem todo direito de não querer uma mulher, mas não tem o direito de enganá-la. Não querer não é falta de respeito, enganar é roubar. Transparência é a palavra. E serve para ambos. É preciso saber o que se quer. … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Afiando a maldade

Pobre que rouba é burro. Rico que rouba é doido. Homem que bate em mulher é covarde. Lugar de ladrão é na cadeia. Lugar de doido é no manicômio. Não há uma linha, em toda literatura jurídica, que mande espancar ladrão. No Brasil, bate-se … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Os Herodes de nosso tempo

A pequena Isabella Nardoni continua sendo atirada do sexto andar. Agora, rememorada pelo cruel assassinato do menor de 11 anos,Bernardo Boldrini, perpetrado pelo pai e a madrasta no Rio Grande do Sul. A diferença entre Herodes e os assassinos de nosso tempo é que Herodes … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Não ria se puder

Está parecendo o cidadão que revelou que acordava tão cedo que estava cruzando com ele mesmo no corredor. Também está parecendo aquela velha revelação: gosto muito de andar comigo mesmo, eu sou a minha melhor companhia. Aliás, se não fosse … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

No tempo de eu menino – Carteira escolar

E eram encangadinhos, dois alunos por carteira. Eu me lembro até daquele buraquinho em cima da banca, embora não me recorde de sua serventia. Eu estudei até em caixão de sabão, no Grupo Escolar Cardeal Roncalli, no tempo de Maria Celeste, presa … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | 2 comentários

Istambul, Napoleão e Eu

Este é o Palácio Dolmabace em Istambul. Se a Terra fosse um só estado, Istambul seria sua capital – diziaNapoleão Bonaparte (1769-1821). Compatibilizar RIQUEZA com EXTINÇÃO DA MISÉRIA é o grande desafio da humanidade. Lembra-me o renomado escritor e pensador francês Anatole France (1844-1924): “A … Continue lendo

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário