Dudu e Erika

DUDU E ERIKA cantam a música ESQUADROS.

Esquadros – Dudu e Erika

Aldenisio Tavares

Publicado em Vitória dos Artistas | Deixar um comentário

O Tempo Voa Documento: foi sempre assim…

Revirando nossos  arquivos encontramos  um “desabafo” do senhor Luis Nascimento, em artigo escrito para a Revista do Instituto Histórico, em função  das comemorações do centenário da imprensa na nossa cidade (1866 – 1966),  que bem  reflete o sentimento daqueles que fizeram e que continuam fazendo  imprensa na Vitória de Santo Antão. Vale a apena ler:

PERCALÇOS E IDEALISMO

A imprensa vitoriense sofreu, desde 1866, todos os percalços, dificuldades e inglórias inerentes à espécie. Viveram seus periodistas, por outro lado, os momentos culminantes da criação do jornal e da enunciação de ideias e programas, junto ao desejo de ser útil a comunidade, de consertar os erros do mundo e apontar os caminhos certos.

Continuaram eles, neste século, a amar e a sofrer, teimosamente, jungidos a um ideal, à missão de informar, de aparecer, de transmitir um pensamento, um verso, uma página literária.

Ultrapassou a casa dos trinta o número de publicações da grande família da imprensa dadas à circulação, de 1866 a 1899, na Vitória de Santo Antão. No cômputo geral dos cem anos hoje completados, subiram a mais de 170, de todos os gêneros, de vida intensa ou efêmera, fazendo surgir jornalista a granel, muitos deles perdendo o título rapidamente, outros altanando-se no conceito da imprensa regional ou nacional.

Esta terra de tantas tradições históricas tem, indubitavelmente, a primasia da imprensa no interior do Estado, uma primasia que honra Pernambuco, do mesmo modo que a imprensa de Pernambuco honra o Brasil.

Luis Nascimento Originalmente publicado na REVISTA DO INSTITUTO HISTÓRICO DA VITÓRIA DE SANTO ANTÃO – VOL. I – 1968.

Publicado em A Lupa, O Tempo Voa Documento | Deixar um comentário

Tiro de Guerra promoveu evento comemorativo!!

Na manhã de hoje (sexta, 29) aconteceu na sede do nosso Tiro de Guerra, localizado no Alto do Reservatório, uma cerimônia para comemorar os 55 anos (31 de março) da intervenção militar no Brasil.

Sob o comando dos atuais instrutores -  S Tenente Edgley e Sgt Paiva – a tropa foi formada. Um rápido desfile foi realizado. Com vibração os atiradores cantaram a canção do Exército.

Na ocasião, o eterno instrutor do nosso Tiro de Guerra, Major Eudes, usou da palavra para realçar fatos e acontecimentos alusivo ao movimento de 1964 sendo ele, inclusive,  à época, sargento do 14 RI e testemunha ocular da história.

Publicado em A Lupa | Deixar um comentário

Momento Cultural: MEUS AMIGOS – Heitor Luiz Carneiro Acioli

Meus amigos, pessoas que me confortam e me levam para um lugar melhor. Amigos são pessoas que considero como irmãos. Amigo é aquela pessoa que podemos contar nossos problemas sem nos preocuparmos. O único ponto negativo é que um dia os amigos se separam. Meu desejo, não, meu pedido, melhor falando, é que sejamos amigos para sempre.

(Meu jeito em Versos e Prosas – Heitor Luiz Carneiro Acioli – pág. 02).

Publicado em Fim de Semana Cultural | Deixar um comentário

Momento Vitória Park Shopping

Arraste para o lado e confira a programação da semana!
Publicado em Anúncios | Deixar um comentário

O Tempo Voa: foto panorâmica da cidade.

VISTA DA PARTE CENTRAL DA CIDADE (DO ALTO DO RESERVATÓRIO) – ao fundo, no canto esquerdo, a Igreja da Matriz. Ano não registrado.
Publicado em O Tempo Voa | Deixar um comentário

Momento Pitú: Viva a Resenha!!

Tô só esperando os convites. E tu?
Publicado em Anúncios | Deixar um comentário

FRAGMENTOS – por Sosígenes Bittencourt

Deus fez o MUNDO para o homem viver. O homem não entendeu, fez o IMUNDO.

Sosígenes Bittencourt

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Saudade – Fernando Silva

Hoje,  disponibilizamos a canção "SAUDADE"  -  autoria e interpretação do  FERNANDO SILVA. Saudade - Fernando Silva Aldenisio Tavares
Publicado em Vitória dos Artistas | Deixar um comentário

Cólera na África: em Vitória a peste devastou com a cidade em 1856.

As últimas notícias dos efeitos do “ciclone Idai” que, há duas semanas,  devastou o Sudeste do Continente Africano não são animadoras. Fala-se, entre tantos problemas,  no surgimento de casos de cólera. As autoridades sanitárias temem uma epidemia da peste. Às más condições sanitárias da região atingida, infelizmente, é fato agravante. Assistir tudo isso, em pleno século XXI, é algo lamentável.

Foi ainda na metade do século XIX que ocorreram os primeiros casos no Brasil. À contaminação teve inicio Estado do Pará e se alastrou pelas cidades portuárias, em função do forte deslocamento de navios. Pernambuco também teve seus dias de horror.

Consta nos livros que contam a história dos nossos antepassados que Vitória de Santo Antão foi a porção territorial cujos efeitos da aludida praga se deu em maior vulto. Por aqui morreu muita gente. Pobre, rico, branco, preto, macumbeiro ou católico foram castigados sem distinção. Ao final, em dois meses de holocausto, calculou-se que um terço da população antonense sucumbiu. Valendo salientar que no tempo pretérito pouco se sabia sobre a doença.

Pessoas enterrava um parente hoje, amanha, não sabia se era sua vez. Com medo de perecer nas estradas, alguns católicos passavam o dia rezando ao lado das covas para não correr o risco de não ser enterrados condignamente.

Construída em 1862 a Capela que  hoje existe no Engenho Bento Velho foi fruto de uma promessa, realizada no ápice da contaminação que, caso ninguém da propriedade fosse contaminado pela dita peste mortal um santuário seria erguido. Assim também é feita a história, com fatos cíclicos em lugares e em recortes de temporal diferentes.

Publicado em A Lupa | 1 comentário

Momento Cultural: A Alvorada – POR GUSTAVO FERRER CARNEIRO

O sol se descortinava na praia Brilhando em meus olhos Caminho só Ar imóvel, quente Vento assobiando ardente Com o som da minha respiração Um monte de pensamentos Um toque agudo sibilante Suspirando com prazer O nascer de um novo dia Uma alvorada arredia De momentos de introspecção

Um aroma gostoso de terra molhada Ou maresia, Um delicada lua ornamentando o amanhecer Em uma fantasmagórica poesia, Plenitude O vento zunindo Um sentimento de dignidade Uma visão do encanto Insondável graça no rosto No perplexo momento Da percepção da vida.

O que ele diz estará dentro do seu peito Todo tempo Para sempre…

Seja longe, seja perto Não sabemos o exato, o correto Para tudo tem um tempo

Mas quando será esse tempo certo?

(MOSAICO DE REFLEXÕES – GUSTAVO FERRER CARNEIRO – pág. 14).

Publicado em Fim de Semana Cultural | Deixar um comentário

Momento Vitória Park Shopping

Aposte no LotoPark do #VPS. Aliás, aposto que te damos sorte!
Publicado em Anúncios | Deixar um comentário

O Tempo Voa: Tiro de Guerra juramento à bandeira.

TIRO DE GUERRA -  BAIRRO DO LIVRAMENTO  - JURAMENTO À BANDEIRA – 15-11-1982
Publicado em O Tempo Voa | Deixar um comentário

Momento Pitú: Viva a Resenha!!

Um latão de Pitú dá pra mim e dá pra tu. E se brincar, ainda sobra! A foto é de Paulinho Kachaça, o hômi que num perde uma oportunidade de mostrar que faz parte da #NaçãoPituzeira. Valeu, meu velho.

 
Publicado em Anúncios | Deixar um comentário

TODO EXTREMO É VENENOSO – por Sosígenes Bittencourt.

Ninguém tem tanto juízo para lidar com o poder que os governantes do mundo têm. O homem não nasceu para ser tão pobre que chegue a desconfiar da existência de Deus, nem tão poderoso que chegue a pensar que é Deus.

Sosígenes Bittencourt
Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

Cacá Soares

Música “Uma Chance“ -  Cacá Soares -  autoria dos vitorienses Samuka Voice, Cacá Soares e Aldenisio Tavares. Ela faz parte do primeiro álbum do cantor, com a participação especial de Bruna KellyOuça!

Uma Chance - Cacá Soares e Bruna Kelly Aldenisio Tavares
Publicado em Vitória dos Artistas | Deixar um comentário

Nestor de Holanda Cavalcanti Neto – por Pedro Ferrer

Nasceu na Vitória de Santo Antão, no ano de 1921. Desde cedo mostrou pendores para as letras. Era neto do Nestor de Holanda Cavalcanti, farmacêutico, estabelecido na atual João Cleofas. Ficou órfão ainda criança. Sua genitora ficou residindo algum tempo na casa dos sogros. Logo partiu para o Recife, levando em sua companhia o casal de filhos. Foram residir na rua do Sossego, bairro da Boa Vista. Mais tarde ele escreveria um romance cognominado: “Sossego, rua da revolução”.

Na capital trabalhou na imprensa, escreveu peças, poesias e compôs inúmeras músicas em parceria com Nelson Ferreira, Levino Ferreira, Luís Gonzaga. Aos 19 anos partiu para o Rio de Janeiro. Sua veia de escritor abriu-lhe as portas de revistas, jornais, rádios, teatros e finalmente TV.

Trabalhou em inúmeros jornais. Foi redator de rádios e TV. Escreveu muitas peças para teatro de revistas e compôs centenas de músicas. Entre seus parceiros citaria: Ary Barroso, Dolores Duran, Lamartine Babo, Ismael Neto, Haroldo Lobo. Suas crônicas prendiam-se muito a fatos ocorridos no Rio de Janeiro e na sua terra natal. Merecidamente ganhou o título de Cidadão do Estado da Guanabara. Nessa época seu livro, “A ignorância ao alcance de todos”, vendeu 120 mil exemplares, valendo-lhe o título de  escritor de maior venda no Brasil, na década de 1960. Nestor morreu jovem, no dia 30 de novembro de 1970, com apenas 49 anos. Jorge Amado, o famoso escritor baiano, resumiu em três linhas a importância, o valor e a originalidade de Nestor de Holanda: “Com Nestor de Holanda estamos longe de todo formalismo sem sentido com que certos escritores buscam esconder a inutilidade de sua voz. Nestor é um homem do seu tempo e do seu povo”.

Recomendo ao leitor seu livro “O decúbito da mulher morta”. História ocorrida na nossa cidade.

Finalizo transcrevendo algumas palavras escritas por Rachel de Queiroz, escritora cearense, primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Letras, por ocasião da sua morte: ““Contista e, acima de tudo, cronista, esse pernambucano de Vitória de Santo Antão assimilou melhor do que ninguém a alma e a graça do carioca, sua irreverência, seu humor desabusado, sua mordente sátira, entremeada de momentos de enternecimento e romantismo. Curioso é que conseguiu figurar assim entre os mais “cariocas” dos cronistas desta cidade do Rio, sem por um instante imolar sua condição de homem vindo do Norte, parte daquela frente migratória anunciada por Manuel Bandeira em “São os do Norte que vêm”. O carioquíssimo “Sargento Iolando” jamais esqueceu ou sonegou o menino de Vitória, suas lembranças, saudades, e pontos de vista. A simbiose de ambos foi o milagre do talento – talento era coisa que não faltava a esse que nós choramos tão cedo, partido muito antes do seu tempo natural, quando ainda teria tanto para dar ao jornalismo, nas letras, na vida.”

Publicado em A Lupa, Curiosidades Vitorienses, O Tempo Voa Documento | Deixar um comentário

Suely Santana: desenrolada e atuante!!

Em uma feliz coincidência, no último sábado, dia 23 de março, por ocasião da nossa passagem no Jardim Botânico do Recife, encontramos nossa conterrânea, Suely Santana, que atualmente preside o Conselho Estadual de Educação Física, em uma comitiva que objetivava grafar, no chamado “Bosque da Fama” o nome de mais um ex atleta pernambucano que prestou relevantes serviços ao esporte regional e nacional. A mulher da agremiação carnavalesca,  “Marias e Lampiões”,  é desenrolada e atuante......

Publicado em A Lupa | Deixar um comentário

Rainha Elizabeth: escreveu: Ronaldo Sotero

Estou lendo um livro excepcional sobre a rainha Elizabeth 1. Filha de Henrique VIII com Ana Bolena, segunda esposa do monarca. Esse Henrique era uma" alma sebosa". Enquanto a filha ainda tinha 2 anos e oito meses, o pai mandou trazer da Espanha um carrasco espanhol somente para decapitar a mãe de Elizabeth 1, acusada de adultério, em 19/5/1536. Elizaberh 1 foi a maior soberana que a Inglaterra conheceu. Ela nasceu em 7/9/1533 e faleceu em 24/3/1603. Sob seu reinado , a Inglaterra conquistou a supremacia dos mares, tinha colônias em todos os continentes , ao ponto de ser dizer que o "sol jamais se punha sob o Império Britânico ", ou seja, enquanto era noite numa colônia na Ásia, na África era dia e ali havia uma colônia inglesa. O poeta William Shakespeare (23.4.1564 - 23.4.1616) foi contemporâneo da rainha, chamada de Rainha Virgem , porque ela dizia ser casada com a Inglaterra. LER É DESCOBRIR!

Publicado em A Lupa | Deixar um comentário

Momento Cultural: Ante o Tabernáculo – Por Corina de Holanda.

Contemplando a prisão arquibendita

Onde se oculta o Augusto Sacramento

Pleno de amor meu coração palpita,

Da terra afasto, inteiro, o pensamento.

Insondável mistério! A infinita

Majestade de um Deus, no isolamento,

Nas estreitezas dum sacrário habita…

Terno Jesus! Quão grande é o meu tormento,

Em pensar que não sou como devêra!

– eu quisera, meu Deus, que, como a cera

Que arde feliz tão perto do hostiário,

Meu coração em puro amor ardesse

E à chama desse amor, se derretesse,

Se consumisse à vista do sacrário.

1925.

(Entre o Céu e a Terra – Corina de Holanda – pág. 42).

Publicado em Fim de Semana Cultural | Deixar um comentário

Momento Vitória Park Shopping

Em seu primeiro ano no Vitória Park Shopping, a equipe do Expresso Cidadão comemora suas conquistas com muita felicidade e almeja continuar o excelente trabalho, atendendo a todos com a melhor qualidade.

Publicado em Anúncios | Deixar um comentário

O Tempo Voa: Tiro de Guerra

Primeiro dia da turma - década de 1980 - Alto do Reservatório - Chefe da instrução,   Major Eudes. 
Publicado em O Tempo Voa | Deixar um comentário

Momento Pitú: Viva a Resenha!!

Namore alguém que cuide de você como Eleonay Santos cuida do litroso. Parceira, que foto massa danada! Valeu demais esse registro.
Publicado em Anúncios | Deixar um comentário

Celeuma entre Ética e Moral – por Sosígenes Bittencourt

Lembra-me um dos discursos que estabelece a diferença entre ÉTICA e MORAL.

A Moral é aquilo que nos ensinam: não matarás. A Ética é aquilo que aprendemos: matarei para sobreviver.

A Moral tem a ver com o SUPEREGO, a Ética tem a ver com o EGO. A Moral tem a ver com CASTIGO. A Ética tem a ver com CULPA. Portanto, a Moral vem de fora para dentro, enquanto a Ética nasce dentro. Se alguém belisca você, e esta atitude fere a Moral (não beliscarás) o que te foi ensinado, você reage com a Ética (belisco, porque fui beliscado) o que aprendeste. A mim me parece que, nesta visão, a Moral tem a ver com o amor, um amor imposto, o homem tem o dever de amar, e a Ética tem a ver com justiça, ou seja, o homem tem o direito de ser amado, podendo reagir ao desamor. É complexo, mas não exclui a necessidade de refletir a respeito.

Quando Pedro arrancou a orelha de um soldado, com o gume da espada, atrapalhando a crucificação, o que disse o Senhor: “Quem viver pela espada, pela espada também morrerá.” (Moral e Condenação) Noutra oportunidade, disse o Senhor ao mesmo Pedro: “Quem não tem uma espada, que venda seu manto e compre uma.” Ou seja, a vida é luta permanente, e lutar contra o mundo e o demônio requer usar a espada contra o inimigo. (Ética e Absolvição)

Sosígenes Bittencourt

Publicado em Fala, Vitória! | Deixar um comentário

João Caverna & Edilma

JOÃO CAVERNA E EDILMA, ao vivo,  no cd e dvd ALÉM DO LIMITE, canta ROBERTO CARLOS. João Caverna e Edilma - Além do Limite Aldenisio Tavares
Publicado em Vitória dos Artistas | Deixar um comentário

S.O.S: Instituto Histórico da Vitória arrecada donativos para atingidos pelo ciclone em Moçambique

O Instituto Histórico e Geográfico da Vitória de Santo Antão (IHGVSA) iniciou, nesta segunda-feira (25), campanha de arrecadação de donativos para os atingidos pelo ciclone em Moçambique, na África.

Roupas, calçados, produtos de higiene pessoal e álcool em gel estão entre os itens que estão sendo recebidos. As doações devem ser feitas até o próximo domingo, 31 de março. As arrecadações serão encaminhadas para Universidade Federal de Pernambuco, de onde seguirá para Moçambique através de uma pesquisadora daquele país.

O Instituto Histórico fica na Rua Imperial, 187, bairro da Matriz, área urbana de Vitória de Santo Antão. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. “Doar é um ato humanista. Devemos estar sempre dispostos a ajudar quem necessita, no caso em questão, tendo em vista as proporções da tragédia que o povo moçambicano foi acometido. Precisamos unir nossos esforços para ajudar aqueles que encontram-se hoje cerceados do que há de mais básico para sobreviver”, enfatizou Claudia Vicente, primeira secretária do IHGVSA.

SOBRE A TRAGÉDIA – Segundo dados das autoridades de Moçambique, o número de mortos no país, em função do Ciclone Idai, chegou em 446. A passagem do ciclone provocou fortes ventos, chuvas e inundações no país, além de atingir também países vizinhos. Os dados estão sendo atualizados à medida que o nível da água vai baixando e permitindo o acesso a novos locais.

Claudia Vicente
Publicado em A Lupa | Deixar um comentário

Tu sabes o que contem teu “smartophone” ?

Tu sabes o que contem teu “smartophone” ? Melhor: qual sua composição? Pesquisadores ingleses da Universidade de Plymouth na Inglaterra resolveram pesquisar. Trituraram um “smartophone” a pó para analisar seu conteúdo. Resultado. Encontraram: 33 gramas de ferro, 7 gramas de cromo, 90 miligramas de prata, 36 miligramas de ouro, além de outros minerais em menor escala. Qual o objetivo dessa pesquisa ? Os geólogos tentaram demonstrar uma melhor maneira de reciclar nossos velhos aparelhos telefônicos. Um bilhão e quatrocentos milhões de “smartophnes” são produzidos por ano no mundo. Uma riqueza jogada ao lixo.

Sugestão: professor Pedro Ferrer. 
Publicado em A Lupa | Deixar um comentário

Momento Cultural: Só o Amor – por José Bezerra de Oliveira

Só o Amor

Nos salvará

Desta vida entediante,

Deste trabalho massacrante…

Deste dia de horror.

Só o Amor.

José Bezerra de Oliveira

Publicado em Fim de Semana Cultural | Deixar um comentário

Momento Vitória Park Shopping

Hoverboard, airsoft games e um pouquinho de realidade virtual é o que te espera na Hoverboard!  
Publicado em Anúncios | Deixar um comentário

O Tempo Voa: Comemoração Familiar

Professor Eunice Xavier e o doutor Alcindo Carvalho - foto registrada em 1995.
Publicado em O Tempo Voa | Deixar um comentário