E o tempo passou – “catador” de plástico de uma madrugada de réveillon.

Não sei se por uma sensibilidade singular,  capacidade aguçada da chamada macro observação  ou mesmo por uma coincidência astrológica,  ao colocar os pés na rua no primeiro dia do ano, exatamente às 5:04h, no sentido da minha primeira corrida do ano de 2022, dei de cara com uma pessoa juntando recipientes plásticos de bebida nas portas alheias  que, ao que tudo indicava, seriam usados para angariar algum tipo de recurso financeiro. Antecipadamente, subscrevo que toda atividade laboral honesta é digna. Ninguém é melhor ou pior por desempenhar  essa ou aquela função.

Por uma questão própria e particular, para preservar a vítima dessa história não irei declinar o nome do político opressor muito menos detalhes dos fatos para que não cause algum tipo de embaraço para o “catador” de plástico de uma madrugada de réveillon. 

Pois bem, esse cidadão  – “catador” de plástico de uma madrugada de réveillon –  vivia  da sua atividade comercial. Lembro bem.  Pobre, mas andando com  as suas próprias pernas, como se diz no jargão popular. “Torcedor” apaixonado de uma “cor” política local, em determinada eleição municipal,   o seu “time” acabou derrotado nas urnas.

A outra cor, vencedora do pleito, resolveu vingar-se. Vale salientar que se o dito cujo  fosse  um “torcedor político” com algum tipo de lastro  financeiro ou social,  ou  mesmo com  reconhecida capacidade de reação   certamente  a “cor” vencedora  usaria sua “caneta cheia de tinta” para assedia-lo ou mesmo “chegar junto” com os benéficos que só os  doces ventos do  poder podem  produzir.

Ainda no contexto da força maligna da “cor” vencedora, esse tal “catador” de plástico de uma madrugada de réveillon, por mim testemunhado,  o referido castigo imposto configurou-se  numa espécie de exemplo para que todos comuns,  iguais a ele,  não “se atrevam a se manifestarem mais do que devem em campanhas políticas”.

Em ato continuo ao meu testemunho, sem que o “oprimido” tenha notado, fiz o devido registro fotográfico justamente  motivado pela força da minha indignação e revolta espontânea,  momentânea, por assim dizer,  na intenção de fazer chegar, logo bem cedeinho,  naquele mesmo dia  do feriado da Paz e Confraternização Universal,  antes do café da manhã,  ao celular do “chefe” da cor opressora – o tal mandante do crime que se utilizou covardemente  das forças oficial municipal. 

Depois pensei comigo mesmo…. Não tenho o direito de expor esse rapaz, o tal – “catador” de plástico de uma madrugada de réveillon. Outra coisa: quem poderia me garantir que a minha mensagem (com foto)  não fosse capaz de produzir   um efeito contrário ao que causou em mim, ou seja: algum tipo de satisfação ao referido político, até porque sua demoníaca ação, convenhamos,  logrou êxito nos três tempos:  curto, médio e  longo prazo.  Última forma! Segue o baile.  O  juízo final  está próximo. 

“Seu Edinho”: o sonho vivo de todo atleta!!!

Promovida por um dos grupos de corrida existentes na nossa cidade –  “GRUPO SELVA” -,    no próximo dia 30 DE JANEIRO  acontecerá uma atividade que vai muito além dos 5km estabelecidos pelos organizadores do evento. Trata-se de uma homenagem especial ao senhor Edinho, corredor de rua de nossa cidade que esbanja saúde e vitalidade aos 79 anos vida.

“Seu” Edinho é a materialização viva do sonho de todos  os atletas –  profissional ou amador. Sou amigo e incondicional admirador dele. Nas oportunidades que tenho  de correr ao seu lado sempre o observo pelas lentes do espanto,  em função do seu invejável  vigor físico, pelo seu fôlego quase infinito  e pela sua determinação gigante.

“Seu Edinho”, definitivamente, é uma pessoa especial. Aliás, já realizei várias gravações com ele. Outro dia, antes de começarmos a atividade propriamente dita,  lá no Pátio da Matriz, o mesmo me  revelou que trabalhou no Colégio de Pacas e que, naquela ocasião, as forças armadas “vinham buscar” músicos no referido colégio.

Em outra oportunidade, no período em que estava “rolando” a última olimpíada,  numa das corridas que fizemos juntos, com certa dificuldade, acompanhei o ritmo dele e fiz uma gravação dizendo que ele era o verdadeiro “medalhista de ouro  olímpico”. Veja o vídeo.

Portanto, na qualidade de corredor de rua da nossa Vitória de Santo Antão espero encontrar,  na largada da “Corrida de seu Edinho”,  todos aqueles atletas que sonham em manter-se ativo durante a chamada “boa idade”  quando a mesma for nossa companheira para sempre. Viva “Seu” Edinho, um exemplo para todos!!!

Serviço:

Evento: SEU EDINHO RUN

Dia: 30 de JANEIRO – 5KM

Valor: R$ 40,00 – Contatos: 9.9535.8894 – 9.8476.5040.

Realização: GRUPO SELVA.

Revista Movimentto projeta evento na Vitória de Santo Antão.

E no primeiro dia útil do ano novo ano que acaba de se iniciar, 2022, na Praça de Alimentação do Vitória Park Shopping,  bati um alongado papo com o conterrâneo publicitário Arijaldo Carvalho. Na pauta, por assim dizer, além do  “balanço  360 graus”  do ano de 2021, um pouco do projeto da sua Revista Movimentto – Inteligência Empresarial – que o mesmo projeta empreender,  ainda nesse mês de janeiro,  em terras antonenses.   Abaixo, em rápido  áudio, Arijaldo explica em que contexto acontecerá o referido evento.

OUÇA AQUI. 

 

ADVISA/CAV – convocação para Seleção Brasileira – por Artur Cruz.

PARABÉNS A ATLETA LUANA E A TREINADORA INÊS PELA CONVOCAÇÃO DE AMBAS PARA SELEÇÃO BRASILEIRA DE BOCHA PARALIMPICA, É UM TRABALHO DE ANOS DE TODA EQUIPE DA BOCHA DA ADVISA/CAV, COORDENADA PELO PROFESSOR SAULO
Luana Karolaine Inês Guedes Saulo Fernandes Melo

Boletim DA ANDE: 027/2021
Rio de Janeiro, 30 de dezembro de 2021.
CONVOCAÇÃO DA SELEÇÃO BRASILEIRA DE BOCHA PARALÍMPICA
O Presidente da Associação Nacional de Desporto para Deficientes – ANDE, no exercício de suas competências resolve:
• Convocar atletas e profissionais abaixo relacionados que irão compor o elenco da Seleção Brasileira de Bocha Paralímpica durante a Fase de Treinamento a ser realizada na cidade de São Paulo/SP, no período de 18 a 23 de janeiro de 2022.
• Equipe BC1/BC2:
# Nome Clube
1 Luiz Carlos de Araújo UFPE/PE
2 Paulo Barbosa dos Santos ADMC/SMEL Mogi
3 André Luis Barroso Filho ADD/MS
4 Paulo Renato Silva Noronha FUNAD/PB
5 Tamna do Nascimento Damasceno da Costa AETERJ/RJ
6 Lucas Ferreira de Araujo Rio de Janeiro P. Soccer
7 Mariana Olimpia Silva ABP/DF
8 Leticia Karoline dos Santos APODEC/PE
9 Kassio Dias Silva ADD/MS
10 Manuel Ubiramar de Lima Mendes FUNAD/PB
11 Ernesto Jose da Costa Filho AETERJ/RJ
12 Loreno Pessato Kikuchi ABP/DF
13 Letícia de Fátima Silveira ABP/DF
14 Jullyana Corrêa de Alencar Rio de Janeiro P. Soccer
• Par BC3:
# Nome Clube
15 Glênio Fernandes Leite APARU/MG
16 José Guardia APPD/SJC
17 Evelyn Vieira de Oliveira SESI/SP
18 Roberto Rodrigues Ferreira SESI/SP
19 Antonio Leme APPD/SJC
20 Danilo Xavier de Novaes Santos SESI/SP
21 Ariane dos Santos Morais SESI/SP
22 Débora Silva Bargas de Jesus APBS/SP
23 Fernanda Silva Bargas de Jesus APBS/SP
24 Erick Santiago Rodrigues SESI/SP
• Par BC4:
# Nome Clube
25 Moisés Fabrício de S. Cruz APBS/SP
26 Vagner Lopes Lima APBS/SP
27 Eliseu dos Santos ADFP/PR
28 Luciano dos Santos ADFP/PR
29 Ivanildo Pereira de Souza APODEC/PE


30 Luana Karolaine Ferreira Cavalcanti ADVISA/PE
31 Josiane Batista da Silva SESI/SP
32 Lúcia Inês Guedes Leite de Oliveira ADVISA/PE
33 Erik Rafael Peixoto dos Santos APODEC/PE
34 Raquel Matias Gonzaga SESI/SP
• Equipe Multidisciplinar:
# Nome Clube
35 Gilson Daniel Del Santo ANDE
36 Marcelo Oliveira da Silva APBS/SP
• Informações acerca da logística serão fornecidas posteriormente.
• Uniformes: Todos devem levar e utilizar calças, shorts e/ou bermudas pretas. A ANDE entregará apenas camisas referente ao período de treinos.

ARTUR CRUZ – Presidente

“Acorda Corno” virou o ano com prévia carnavalesca!!

Em se tratando de carnaval nossa “aldeia” – Vitória de Santo antão -, definitivamente, não é uma cidade qualquer. Na manhã do feriado do último sábado (01), passava pouco das cinco da manhã, ao sair para minha “Corrida Com História”, ao passar por um determinado trecho da  Rua Doutor José Rufino, bairro do Cajá, um grupo de pessoas  que confraternizava-se  desde a vidada do ano  se preparava a prévia carnavalesca da agremiação “Acorda Corno”.

Pois bem, ao retornar dos meus quase 8km, já debaixo de muita chuva, encontrei a mesma turma, agora já animados por uma orquestra de frevo, liderada pelo Maestro Silvano, “concentrados” no trecho  do Viaduto do Cajá, no sentido Pátio da Matriz. Pela “temperatura” da folia, mesmo com todas as  incertezas sobre o nosso carnaval, 2022, em Vitória,  já começou em ritmo de Rei Momo.

O nome da cidade decidido pelo voto popular – por José Maria Argão.

Em 1941, se não estou equivocado, o governo federal baixou um decreto-lei proibindo que mais de uma cidade, no país, tivessem o mesmo nome e estabelecendo a primazia das cidades mais antigas e importantes. No caso, só Vitória, capital do Espírito Santo, preenchia os dois requisitos. Meu pai, José Aragão, era o prefeito e promoveu um plebiscito para que os vitorienses de então escolhessem o novo nome da cidade. Concorreram dois nomes: Vitrice, defendido pelo médico dr. Holanda Barros, vitoriense nato e então Chefe do Posto Municipal de Higiene, localizado na Praça Duque de Caxias, e Vitória de Santo Antão, defendido pelo prefeito e que homenageava o padroeiro da cidade. Os vitorienses escolheram o segundo nome. Havia outra cidade, na Bahia, que passou a denominar-se Vitória da Conquista, em homenagem à vitória dos portugueses sobre os índios que então habitavam a região.

Feliz Ano Novo – José Maria Aragão. 

3ª dose no braço e fé que em 2022 viveremos um novo tempo!!

Beneficiado pelo encurtamento do prazo para a chamada “dose de reforço” da vacina contra a COVID-19, na tarde de ontem (29), submeti-me à terceira aplicação do imunizante, dessa vez, diferente das duas primeiras,  do laboratório Pfizer.

Por uma questão de “ajuste” dos astros, foi justamente no dia em que comemorávamos na nossa cidade o feriado dedicado ao Glorioso Santo Antão –  17 de janeiro de 2021 –  que efetivou-se , em São Paulo, o  primeiro ato vacinal contra a COVD-19 em solo brasileiro. Nesse contexto, recebi a minha terceira dose nas dependências da Paróquia de Santo Antão. Não deixa de ser, para quem tem conhecimento do fato, um acontecimento em que, de maneira automática,  nos possibilita  traçar um paralelo histórico, por assim dizer,

E para fechar o ano de 2021 “em dia” com o processo vacinal – ano em que o mundo mergulhou no caos e na dor por conta dessa praga (COVID- 19) – , na manhã de hoje (30), aproveitando o embalo, também tomei a “vacina da gripe”. Assim sendo, no tocante ao processo pandêmico e pontualmente gripal, espero e quero crê  que o ano que  se descortinará apos mais um dia (2022) será bastante diferente.

Espaço Parlamentar: Confraternização – por Carlos Henrique.

Na noite de ontem recebemos em nossa residência parte da nossa equipe para que pudemos de maneira simples nos confraternizar. Em um ano repleto de desafios, agradecemos primeiramente a Deus e a todos que diretamente ou indiretamente contribuíram para que tudo pudesse acontecer da melhor forma. 2022 será de desafios ainda maiores. Juntos, unidos e motivados, vamos em busca de mais uma vitória!!
Carlos Henrique Queiroz – vereador. 

O caso da menina Beatriz – mais um passo adiante…

A frase é clichê: “uma longa caminhada começa com um primeiro passo”.  Após conceber a ideia e se preparar para o desafio, os pais da menina Beatriz, assassinada na cidade de Petrolina,  em 2015, produziram, acima de tudo,  num só tempo, um ato de humildade e coragem.

Ninguém é obrigado a expor suas fraquezas e o seu desespero. Ao colocar o pé na estrada, em 05 de dezembro,  rumo ao Palácio do Campo das Princesas,  essa mãe – Lúcia Mota -, humildemente, compartilhou com o mundo inteiro  sua dor e a  sua impotência para administrar o sentimento da perda. Cada ser humano possui uma forma própria de reagir às realidades impostas pela vida.   Em ato continuo, junta os cacos, para reagir com a coragem dos que não sucumbem  diante da guerra “quase perdida”.

Ao acompanhar sua peregrinação por justiça, como ela mesma anuncia a todos pulmões, a mãe da Beatriz se agiganta  numa sociedade paupérrima  de exemplos. É um governador que não tem vergonha da “sua” polícia não cumpri o seu papel. É um Ministério Público que não busca exercer a função pelo qual foi criado. É uma Assembleia  Legislativa  – legitima  representação da voz de todos os pernambucanos –  que apresenta  49 deputados “mudos, moucos e cegos”.  

Viva a internet e suas múltiplas aplicações….Dificilmente a batalha dos pais da Beatriz teria logrado êxito nessa empreitada não fosse o poder das novas ferramentas,  disponíveis ao cidadão comum. Os poderosos, de maneira geral, não resistem às verdades proclamadas pelas pessoas  comuns que contam histórias legitimas e  que ganham  eco  no coração dos  semelhantes oprimidos.

A sociedade que preza pelo sistema democrático e o  estado de direito não pode temer o seu  presidente, governador, prefeito, juiz, promotor, senador, deputado ou vereador. Tomara que o caso da menina Beatriz desencadeie, no Brasil e em especial no nosso estado (Pernambuco),  um conjunto de vozes que sofrem com a  indiferença praticada por aqueles que tem justamente a função de proteger e acolher os  que clama por justiça social.

”O Anjo Enviado Por Deus” – é o título do livro infantil lançado pela pedagoga, psicopedagoga clínica e escritora Vânia Maria.

Na estrada da missão educadora há mais de três décadas a pedagoga, psicopedagoga clínica e escritora , Vânia Maria, vem cumprindo sua nobilitante tarefa com esmero e paixão.  Mergulhando no mundo mágico e lúdico do universo infantil, recentemente, realizou mais um sonho, ou seja: virou escritora.

Na qualidade de mãe e avó, privilégios da magnitude da obra divina,  ela se reinventou para seguir em frente, apesar das pedras da incompreensão  “jogadas no seu caminho”.  A escritora Vânia Maria mergulhou  no mundo lúdico do universo infantil para emplacar o seu primeiro rebento literário: “ O Anjo Enviado Por Deus” – uma ficção desenhada com muita emoção e lágrimas nos olhos.

No roteiro da sua obra a escritora  consegue, poeticamente,  despertar nas crianças vários sentimentos:  confiança, amor, fé,  alegria e vontade de servir a Deus. Na narrativa da obra, vivenciada numa pequena cidade, um lobo muito malvado retira da família os  seu  bens  mais precioso, ou seja: filha e neto.

Com muita oração e devoção, Deus envia um anjo para restabelecer a alegria e a paz no coração de todos.  Além de um final feliz, uma lição de vida baseada nos ensinamentos cristãos e na constante vontade de viver feliz e seguir  sempre em frente.

Segundo a autora, Vânia Maria, “essa é uma experiência baseada na esperança e no amor, algo tão distante no nosso atual contexto social”.

Serviço:

Livro: “ O Anjo Enviado Por Deus”.

Contato Instagram – @psicoclinicavania

A Sudene e o seu valioso acervo cultural numa data histórica – por Marcus Prado.

Há os que passam pelo imponente e histórico prédio da antiga sede da  Sudene,  Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste, e  sentem uma  agonia nas veias da alma, os que se recordam da Sudene de um tempo  heroico não muito distante e dão com os olhos  no prédio em  quase desuso,  ao lembrar que nesse conjunto de paredes e centenas de salas  esvaziadas após cinematográficos  escândalos, o colosso de 269 metros considerado expoente da arquitetura moderna, a antiga autarquia vinculada diretamente à Presidência da República, deixou de cumprir a  missão de promover o desenvolvimento socioeconômico do Nordeste.

Quem passa por essa imensa gaiola que parece uma serpente de tijolos solta no ar não tem como deixar de sentir, se conhece a sua história, a presença de Celso Furtado, que honrou como nenhum outro intelectual o pensamento econômico brasileiro e inspirou gerações de economistas e demais cientistas sociais. Junto com a sua equipe, o que havia de melhor na Região em planejamento econômico e social, somada ao que produzia em pesquisa social a Fundação Joaquim Nabuco, que sempre marcou presença de parceria com a autarquia federal, Celso Furtado compreendia que a integração nacional só seria concretizada com a redução das desigualdades estruturais entre as regiões do país. Eis o ideário de Celso Furtado, ele que era conhecido dentro e fora do Brasil como “ a esperança militante”. O sonho acabou com dolorosas perdas depois do golpe de 1964, com prisões, exílios, humilhantes perseguições. Foi daí que começou o seu desmonte, fez com que a Sudene abdicasse das preocupações reais para as quais fora incumbida de resolver.

Criada há 62 anos pelo presidente Juscelino Kubitscheck, quero celebrar com uma boa notícia. Ainda resta um tesouro a ser preservado, a sua memória, o seu acervo de grande importância documental, a biblioteca criada pelo Decreto nº 48.530 em 1960, recebendo o nome de Biblioteca Celso Furtado em homenagem ao seu idealizador e primeiro superintendente da autarquia, tendo como finalidade preservar a memória institucional da Casa. Uma missão a ser cumprida por seu atual superintendente, o general Araújo Lima.

O que existia de documentação, tudo indica, está preservado, aberto ao público, agora em novo endereço: Av. Eng. Domingos Ferreira, 1967 – Boa Viagem, Recife. A começar pela Biblioteca Celso Furtado, uma das mais ricas do Brasil, responsável pela normalização, controle, seleção, processamento, armazenamento e disseminação das informações bibliográficas de documentos produzidos pela instituição, desde o começo, portanto, merecedora de adequada proteção, posto que ajuda a preservar a memória da instituição e da própria região Nordeste. Suas obras subsidiam o planejamento para o desenvolvimento da região e servem de base para trabalhos e pesquisas. A maior parte do público é de pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação.

O acervo é formado pelas coleções: Coleção Sudene. É a coleção principal da Biblioteca, composta por toda a produção bibliográfica da instituição, assim como documentos técnicos/científicos elaborados e/ou publicados pela Sudene. São documentos de valor histórico, científico e cultural inestimável. Cartas Topográficas do Nordeste: A mapoteca, talvez a mais rica do Brasil, de incomparável importância documental, é formada por cerca de 600 cartas elaboradas em convênio com entidades especializadas. A coleção de cartas topográficas na escala de 1:100.000 abrange todos os estados do Nordeste e partes de Minas e Espírito Santo e a coleção de cartas topográficas na escala de 1:25.000 abrange partes da Paraíba, Pernambuco e Alagoas. É atualmente a coleção mais consultada da biblioteca. Muito pesquisada por cartógrafos, geógrafos, geólogos, urbanistas, professores e estudantes, além de escritórios de engenharia não só do Brasil.  Segue-se o acervo do Condel: O acervo do Conselho Deliberativo da Sudene é composto por 5 tipos de documentos: atas, pareceres, proposições, resoluções e relatórios. Toda a documentação textual referente aos anos de 1959-2000 está digitalizada e pode ser consultada on-line através do site http://procondel.sudene.gov.br/. Nesse mesmo site é possível encontrar um breve resumo sobre o que é o Condel.

Ouso dizer que não se escreve a história política e econômica do Brasil dos nossos dias sem passar pelos arquivos do Condel, assim como pelos arquivos do Cehibra/Fundaj, com uma riqueza de incalculável abrangência. Os documentos originais encontram-se preservados na Biblioteca e também podem ser consultados de forma presencial por pesquisadores e demais interessados. O acervo Condel conta ainda com fotografias, fitas de áudio e vídeo. Coleção Celso Furtado: Obras de autoria de Celso Furtado, algumas foram doados por ele à biblioteca. Inclui também trabalhos feitos sobre a obra de Celso Furtado, além de periódicos como Revista de La Cepal e Cadernos do Desenvolvimento.

Ainda sobre o edifício da Sudene, cabe um apelo à Universidade Federal de Pernambuco, atual gestora do gigantesco imóvel, para a preservação de outro patrimônio cultural:  a cerâmica artesanal confeccionada por Francisco Brennand e o jardim idealizado pelo paisagista de origem pernambucana, Roberto Burle Marx. Por fim, a antiga sede da instituição representa um conjunto moderno de edifício e jardim, implantado em 1972, que reúne atributos para ser protegido como patrimônio arquitetônico moderno de Pernambuco. A cidade do Recife conta com um conjunto significativo de jardins públicos e privados projetados por Burle Marx, alguns são protegidos pelas instâncias federal, estadual e municipal, mas o da Sudene, sendo um dos mais belos e objeto de trabalhos acadêmicos, tem sofrido pela descontinuidade administrativa da autarquia especial.

Marcus Prado – Jornalista

“Corrida Com História”……..

Fruto da comemoração dos  5 anos da fundação do grupo de corrida “Vapor da Vitória”, ocorrida na tarde do último domingo (19), no Pátio da Matriz, trouxemos para casa uma lembrança em forma de troféu retratando o nosso projeto “Corrida Com História” que, entre outras coisas,  se propõe ao estimulo da atividade física,  realçando à rica  história da nossa “Aldeia” – Vitória de Santo Antão.