Bando de Loucos: histórias de superação em ano de pandemia….

O calendário mudou. Se para os brasileiros o ano só começava de fato a partir da primeira segunda-feira  após a quarta-feira de cinzas, em 2021 só irá começar realmente quando estivermos vacinados contra a COVID-19, até porque,  no ano em curso,  nem  o tradicionalismo reinado de momo se enxerga no horizonte, antes, previsto para acontecer na quinzena de fevereiro.

A data da virada do ano é sempre algo muito simbólico. Com ela, um “mundo”  de novas possibilidades descortinam-se. Fecham-se  ciclos quase na  mesma proporção que outros  abrem. Nessa esteira em movimento uniforme constante – que se chama  tempo – precisamos manter o equilíbrio, algo sempre desejável, mas nem sempre possível.

Pois bem, na virada de 2019/2020 estava decidido a treinar e me preparar para  correr uma meia maratona (21 km) no novo ano (2020). Até me inscrevi numa  – Meia Maratona dos Fortes -, que estava prevista para acontecer nos primeiros dias de maio, próximo passado. Com a pandemia, a partir de março, todos os eventos nesse conjunto foram canceladas ou adiados, sem previsão de datas.

E agora?

O mundo foi obrigado a desacelerar e, em ato contínuo, as atividades físicas pessoais e coletivas  tiveram que ser reinventadas. De olho na balança, a dieta teve que ser mais rigorosa para não “jogar fora” as conquistas, algo que se perde com tanta facilidade. Soberano a tudo isso, mais que nunca,  fez-se necessário  governar as emoções, incertezas e, sobretudo o medo do futuro, algo intrinsecamente ligado a nossa saúde mental.

Refeita a rota, antes planejada, apesar de tudo, consegui fazer os meus primeiros 21km ainda em agosto (2020). Outros 23km em setembro e mais outros  21km em outubro.

Resumo da ópera: no primeiro domingo de 2021, saindo da Vitória ainda com o céu escuro, juntamente com um “bando de loucos”, fiz a minha primeira Meia Maratona oficial, antes prevista para maio de 2020. Várias  vitorias numa. Agora, é manter o foco e seguir perseguindo o  rumo dos 42,195 km para entrar no seleto grupo dos “MARATONISTAS”.

GRUPO VAPOR DA VITÓRIA – ESCOLA DE MARATONISTAS…..

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas a Bando de Loucos: histórias de superação em ano de pandemia….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *