OS deputados André de Paula, Felipe Carreras e Augusto Coutinho receberam os votos do povo da Vitória, se elegeram, e deram uma “banana” para a cidade!

Segundo matéria estampada no Diário de Pernambuco do domingo (19), no caderno Política (pag 2.4), cada um dos três senadores e dos vinte e cinco deputados federais pernambucanos tem direito a destinar R$ 14.000.000,00 (quatorze milhões) em emendas parlamentares para suas bases eleitorais. A lógica dessa distribuição, entendemos, que deveria seguir o mapa eleitoral de cada parlamentar  ou mesmo o vinculo que cada um mantém com seu município de origem (votação em cada cidade).

Nossa cidade, Vitória de Santo Antão, sob o ponto de vista de “Colégio Eleitoral”, configura-se entre as cinco maiores cidades do interior do estado. Mesmo após o recadastramento biométrico possuímos 90 mil eleitores (89.714). Levando-se  em conta que Pernambuco possui mais de 180 municípios somos, indiscutivelmente, uma “praça” muita cobiçada, sobretudo por sermos limítrofes da Região Metropolitana. Tudo isso é levado em conta quando o mapa geopolítico- eleitoral encontra-se em cima da  mesa na hora do “vamos-ver”, ou seja: quando se começa botar o “pé na estrada” para angariar os votos na campanha eleitoral.

Pois bem,  mesmo nossa cidade sendo detentora dos atrativos que mais interessa ao mundo político (voto), o referido relatório, publicado pelo Diário de Pernambuco, em nenhum momento realça à chegada de recursos federais, enviados, através de emendas,  pelos deputados federais, principalmente pelos que aqui foram votados na eleição de 2014.

Levando em consideração apenas os candidatos a deputado federal que foram apresentados e apoiados pelos três principais grupos políticos na nossa cidade  (Elias, Aglailson e Henrique) constatamos que os senhores  André de Paula, Felipe Carrearas e Augusto Coutinho trataram Vitória de Santo Antão como algo desprezível, insignificante isto é:  sem a menor importância.

Certamente por haver sido “ludibriado” pelo experiente deputado estadual Henrique Queiroz, no que se refere ao volume da votação prospectada na nossa cidade, o deputado federal Augusto Coutinho (SD) não destinou nenhum recurso  à nossa cidade. Dos 67.918 votos que conseguiu na eleição de 2014,  apenas 1.496 foram “pescados” por aqui. Investiu muito e teve pouco retorno. Certamente para o pleito do ano que vem não repetirá a dobradinha com o mesmo parceiro. Por aqui, deverá, contudo,  se “aconselhar” com o seu companheiro de partido, o atual vice-prefeito Doutor Saulo Albuquerque.

Sem nenhum vinculo com a nossa cidade o deputado federal Felipe Carreras (PSB) “pescou” um bom volume de sufrágios por aqui e também não destinou nenhum um centavo das suas emendas para ser investida na Terra de Mariana Amália. Dos 187.348 votos que obteve em todo estado, 8.179 conseguiu daqui. Graças ao apoio do grupo político do prefeito Aglailson Junior.

Curiosamente o deputado federal Felipe Carreras destinou R$ 1.200,000,00 para a cidade de Riacho das Almas,  aonde conseguiu pouco mais da metade dos votos que “arrancou” daqui. Outra curiosidade na destinação das verbas do Carreras é que,  não obstante haver conseguido ganhar a confiança de apenas 14 eleitores do município de Brejão,  o mesmo  enviou para lá a quantia de R$ 250.000,00.

Já o deputado federal André de Paula (PSD), velho conhecido dos eleitores vitorienses, tem na cidade da Vitória de Santo Antão a sua melhor “praça”. Nem no Recife, sua terra, onde existe mais de hum milhão de eleitores, ele conseguiu tantos votos quanto aqui. Lá (1.065.450 eleitores)  ele obteve 9.481, enquanto que aqui (89.714) foi agraciado com a confiança de 11.176 vitorienses e, mesmo assim, segundo a relação do Diário de Pernambuco, não destinou um centavo para Vitória de Santo Antão.

Ainda segundo o relatório do jornal, o deputado André de Paula  destinou  duas emendas no valor de R$ 150.000,00 para as cidades de Abreu e Lima e Camaragibe, comarca que conseguiu angariar na eleição passada  apenas 135 e 453 votos, respectivamente. Convenhamos, votação inexpressiva se comparada aos votos que conseguiu por aqui.

Esses, porém, são alguns “lances eleitorais” que o povo da nossa cidade, Vitória de Santo Antão, deve saber e ficar atento. Ano que vem (2018) teremos novas eleições. Fica a pergunta: será que vale a pena acreditar, investir e votar nesses  deputados federais que apenas nos concedem aperto de mão e “tapinhas” nas cotas?

Na medida do possível, no transcorrer da semana, voltarei a tratar desse mesmo assunto assinalando minhas impressões sobre esse tratamento dispensado ao povo da nossa Vitória de Santo Antão por esses políticos do tipo “Copa do Mundo”, ou seja: QUE SÓ APARACEM DE QUATRO EM QUATRO ANOS!

Esta entrada foi publicada em A Lupa, Editorial. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *