O Pátio da Matriz precisa de ordem e os culpados são as autoridades….

O ineditismo não emoldura o conteúdo dessas linhas. Aliás, poderíamos até dizer que a reação das pessoas e das autoridades também se configuram  numa espécie de “jogada ensaiada”, ou seja: já vista várias vezes….Com frequência,  nos últimos dias,  circularam  nos grupos de Whasapp e em diversas  páginas de Instagran vídeos realçando à bagunça e o vandalismo,  recorrente,  num dos mais importantes cartão postal da nossa aldeia – Praça Dom Luiz de Brito – “`Praça da Matriz”.

Com efeito, face a pandemia do novo coronavírus,  atentemos  que, por enquanto,  os decretos governamentais não proíbem  circulação de pessoas em vias públicas. Aos poucos, respeitando as orientações sanitárias,  a vida em sociedade vem  ganhando ritmo, na direção da normalidade. A vacinação é a estrada mais segura, apesar de ainda ser tortuosa e angustiante em função da pouca oferta em terras tupiniquins.

Voltemo ao “Pátio da Matriz”. Com o devido respeito a todas as autoridades do nosso município esse problema é velho. Medidas já foram empreendidas, inclusive,  com resultados satisfatórios,  mas, ao longo do trajeto, por motivos diversos,  foram relaxadas e a bagunça ganhou seu estado original, muitas vezes com requintes cinematográficos.  

Praça é lugar para todos que desejarem, não apenas para “as famílias”, como alguns,  equivocadamente,  apregoam. Aliás,  é bom que se diga:  jovens também é “família” – ninguém nasceu  de chocadeira só porque pertence a camadas sociais menos favorecidas. O debate, no meu modesto entendimento, segue numa ótica desfocada. As autoridades, para se justificarem pela inoperância,  procuram sempre eleger culpados.

O “Pátio da Matriz”, há muito, necessita de ordem, de pulso, de projeto e de ação – algo que os nobres  prefeitos, ao longo do tempo, se negaram  a produzir. O atual prefeito, até o memento,  não é o único  culpado por tudo, mas se juntará ao conjunto dos indiferentes se não cuidar de tomar a devida atitude.

Lembremos que estamos distante, há um ano,  do último carnaval (2020) e do mesmo tempo do  próximo (2022). O carnaval sempre foi o “vilão” favorito das nossas autoridades para justificarem suas fragilidades  no “Pátio da Matriz”. Em 2021 não tivemos festividades carnavalesca e a “Matriz” continua como um “palco dos horrores”. Não esqueçamos:carnaval é só um final de semana por ano……….

Portanto, cabe a pergunta:  QUAL O PROJETO DAS NOSSAS AUTORIDADES PARA O PÁTIO DA MATRIZ? 

Sem determinação e metas claras, querendo agradar a “gregos e troianos” não se chega a lugar nenhum. Sugiro que pensem rápido,  planejem com celeridade e trabalhem “para ontem”, pois os projetos do tráfico continua atuando com eficiência e sem burocracia.

Que o Glorioso Santo Antão ilumine todos……..

 

 

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *