Dois foliões embriagados de sentimentos e lamentações…..

Um registro para a eternidade. Aliás, aos olhos de quem é sensível à história todos os registros são dignos de um artigo ou uma nota. No aludido registro, por assim dizer, poderíamos contextualizar em vários prismas. A partir do nosso Instituto Histórico e Geográfico, poderíamos falar da sintonia entre o atual presidente com o vice – Pedro e Pilako, respectivamente.

A partir do cenário que emoldura as duas criaturas citadas,  Praça Dom Luis de Brito e ao fundo Igreja do Rosário, poderíamos lembrar da Hecatombe do Rosário, ocorrida em 1880. Sobre o eminente religioso  – Luis de Brito – que protagonizou um dos grandes debates na cidade,  envolvendo uma homenagem à vitória dos luso-brasileiros na épica Batalha das Tabocas, poderíamos dizer que o mesmo vem sendo esquecido, pois a “turma mais jovens” só lembra da “Praça da Matriz”.

Já numa perspectiva mais momentânea, a partir do tempo presente com vistas ao tempo futuro, poderíamos dizer que dois foliões, vestidos adequadamente, trocavam lamentações por estarem  impedidos de  cair na folia como costumeiramente, no sentido duplo da palavra embriaguez (sentimental e alcoólica). Vale salientar: registro fotográfico ocorreu na noite de uma terça-feira de carnaval (2021).

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *