ETSÃO desfilando no campo das imaginações do Espaço Sideral.

A imagem postada  é um registro de hoje –  13 de fevereiro de 2021 –  e tem um caráter objetivo, ou seja:  retratar o espaço dedicado à concentração da Agremiação Carnavalesca ETSÃO “desabitada”. Mas, filosoficamente falando, poderíamos dizer, ao mesmo tempo, que o “Beco do Dezinho”, nesse exato momento (13-02-21 -10:20h) também se encontra cheio – vale salientar que o cheio não é necessariamente a ausência do vazio e vice-versa, aliás os dois também podem coabitar  no mesmo espaço sem que haja  qualquer dialogo ou cumplicidade…… 

Nem mesmo o  folião mais “viajado  das galáxias”, já que estamos nos referindo a um “casal espacial” – ETSÃO e ETSUDA -,   consagrado e eternizado na canção da dupla Gustavo Ferrer e Sérgio Campelo,   poderia, em recorte temporal similar,  em 2020, imaginar, supor ou mesmo inventar que a referida  imagem seria possível.

Noutra contradição, por assim dizer, dois sentimentos antagônicos – emoção/razão – , nesse momento, também estão habitando num mesmo espaço:

A emoção é do tamanho do “espaço sideral” e se encontra   represada  no desejo e na vontade de viver, nos reinados vindouros, tudo outra vez.

Nos diz  a danada da razão que o verdadeiro carnava se encontra mesmo é dentro da gente,  por isso “não se avexe nem se iluda”:  sem  saúde o coração não pulsa, a perna não pula e a boca não canta. Que possamos  fazer da nossa passagem pelo planeta terra  um eterno carnaval.

Tá doendo, mas vai passar……

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *