Batalha das Tabocas – história, comemoração e superação!

“Dias Cardoso, nós estamos aqui…”. Assim concluiu o eminente escritor Célio Meira seu discurso, por ocasião do ato inaugural do monumento dedicado a um dos heróis da Batalha das Tabocas construído, em 1954, justamente para marcar definitivamente o tricentenário da chamada “Restauração Pernambucana”. Aliás, de uma vez por todas, nós, antonenses, já deveríamos ter deixado de lado essa ideia de referenciar a “Praça do Jacaré” e chamar a o local pelo seu nome “original”, ou seja: Praça da Restauração.

Hoje, 03 de agosto de 2020, comemoramos os 375 anos da vitoriosa Batalha das Tabocas. Foi lá, em 1645,  que um  conjunto valente de luso-brasileiros  venceram os bem armados e treinados combatentes holandeses. Na qualidade de vitorienses sintonizados com as boas causas locais devemos sim nos orgulhar  desse feito, ocorrido em nosso solo mãe. Já aos olhos dos rigores da ciência historiográfica, convenhamos,  há muitos ajustes para se fazer na narrativa até então posta,  mas isso é coisa para ser debatido nos fóruns próprios.

Pois bem, como faço há muito tempo, estive lá na circunscrição territorial mais emblemática do nosso município. Dessa vez, pela  primeira vez, juntamente com o grupo de corrida do qual faço parte (Vapor da Vitória),  fiz o trajeto correndo –  indo e vindo – perfazendo um percurso de 21km no total. Tivemos  como ponto de partida e chegada o Pátio da Matriz. Na ocasião, ao grupo, aproveitamos para  narrar  um pouco do simbolismos e da importância histórica do lugar.

Para marcar – simbolicamente – o feito de nossos heróis do passado – João Fernandes Vieira/Dias Cardoso e companhia – resolvi desafiar-me para  quebrar um recorde. Corri pela primeira vez 21km (recorde pessoal). Aliás, por falar em ineditismo, possivelmente, também,  foi a primeira vez, nesses 375 anos de história, que um grupo de “mascarados” invadiu o Monte para comemorar alguma coisa, sobretudo à passagem da épica batalha. Assim sendo, termino essas linhas parabenizando todos os atletas do grupo  (Vapor) pela união e vibração durante o desafio. Aproveito, também, para  repetir: Dias Cardoso, nós estamos aqui!!

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *