Sérgio Moro: até quando?

Desde os primeiros movimentos públicos de grande repercussão do então juiz federal Sérgio Moro  que passei,  através da imprensa, a observa-lo. Suas ações, dentro de um conjunto de iniciativas,  despertou admiração e ódio ao mesmo tempo. Pavor dos que estavam acostumados com o “sistema”. Esperança para um sem número de brasileiros que estavam cansados de tanta impunidade.

Foi apenas com a sua pena que o magistrado chegou aos pícaros da fama. Seu nome ultrapassou as fronteiras em todas as direções. Diz um adágio popular: “em guerra de sapo, de cócoras com ele”. Aqui e acolá, o mesmo cometeu alguns excessos e  ultrapassou a linha que lhe cabia, mas também não se pode achar que no submundo da pilantragem exista algum tipo de regra que não seja o de se dá bem e continuar livre, leve e solto.

No meu modestíssimo entendimento, até porque existe muita coisa que não temos ideia de como foi processada, acho que o seu primeiro grande passo errado foi abrir mão do seu espaço, construído com “sangue, suor e lágrimas”, em troca de um salto no pantanoso oceano político.  Aliás, aos amigos mais próximos, na ocasião da sua ida para o ministério da justiça, confessei meu descontentamento, até porque,  até então,  não imaginava que o mesmo poderia ser seduzido pelo enigmático canto da sereia política.

Passados nove meses no cargo, o ex todo poderoso juiz federal de primeiro grau, já deve ter entendido que o “buraco é mais em baixo”. Não são os atos de oficio que mudam os movimentos da classe  política  nem os das suas excelências da corte suprema. Quem muda a sociedade são os exemplos.  Quem muda comportamento coletivo é a devida  aplicação  da lei, sobretudo na direção dos que se acham intocáveis.

No que se refere às questões de combate à  corrupção e lavagem de dinheiro, desde de que o então e incontestável juiz Moro transferiu-se para a  cadeira de ministro, até o presente momento, as mesmas tem caminhado no sentido contrario daquilo que o levou a unanimidade nacional. Daí a minha pergunta: até quando o Moro vai aguentar tanta humilhação? Nesse ritmo,  nem sua biografia será salva…..Te liga Moro!!!

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *