CURTA DECUMENTÁRIO – A HECATOMBE DO ROSÁRIO

O curta documentário “A Hecatombe do Rosário” se propõe a resgatar a história de um dos maiores massacres acontecidos no Brasil do Segundo Império. Um acontecimento dos mais trágicos e sinistros acontecido em 1880 na então “Cidade da Victória”, hoje Vitória de Santo Antão. O dia era 27 de junho, véspera das eleições municipais para Juízes de Paz e Vereador, e o racha interno no partido Liberal, que originara duas correntes políticas disputando o poder na região, os “Cachorros” e os “Leões”, resultou em um embate sangrento e macabro, que culminou na morte de 17 pessoas e dezenas de feridos. Os envolvidos eram principalmente senhores de engenho da oligarquia canavieira da época na região. E não bastasse a violência do fato, este se deu dentro de um templo católico dos mais antigos do Estado, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, datada do início do século XVIII, e desde 1985 tombada pelo Patrimônio Histórico e Cultural do Estado.

Apesar da importância do fato para a política e história do município e por que não dizer, do Estado de Pernambuco, o episódio é desconhecido pelos vitorienses e pernambucanos, e o que se tinha de conhecimento eram breves relatos em jornais e alguns escritos. Muitos destes sem fidelidade ao que realmente ocorrera naquele fatídico dia, bem como nas semanas anteriores e pós acontecimento.

Com profunda pesquisa de variadas fontes e depoimentos de alternadas vertentes e conteúdos, conseguimos traçar uma narrativa que resultou em um valoroso trabalho documental, até então inexistente e que agora será apresentado publicamente.

Para construção da narrativa, a produção entrevistou o vitoriense, Ex-governador e Ministro de Estado, Gustavo Krause; o Professor e Arquiteto Urbanista Motta Menezes; o historiador e presidente do Instituto Histórico e Geográfico da Vitória, Pedro Ferrer; o Professor e Procurador do Estado Marcelo Casseb; o professor e Historiador Reinaldo Carneiro; as Professoras, Historiadoras e Diretoras do IHGV, Cláudia Vicente e Maria de Fátima. O Professor e vice-presidente do IHGV Hiram Gomes; os Historiadores André Pontes e Cláudio Galvão, e o Memorialista José Joaquim Neto. Cada qual evidenciando um tema para a narrativa.

O Roteiro e direção é de Djalma Andrade, a Produção executiva de Leonardo Edardna, e a importante participação dos aristas vitorienses Rildo de Deus, com uma belíssima poesia em cordel; o músico João Caverna, que musicou parte do filme, e desenhos de Fernando nascimento ilustrando a narrativa.

O filme foi contemplado com incentivos do Fundo Nacional de Cultura – FUNCULTURA, através da FUNDARPE e Governo do Estado e a exibição oficial de lançamento é sexta-feira, dia 17 de maio, às 19h30, no Teatro Silogeu, em Vitória de Santo Antão, especialmente para convidados. Paralelamente à exibição, acontece um exposição com fotos dos personagens, documentos e peças relacionados ao fato. Outra sessão, esta aberta para o público, acontece às 21 horas.

ASSESSORIA. 

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *