Gabinetes parlamentares: os que realmente trabalham são os que ganham menos….

Na esteira da Operação Lava Jato, aos poucos, o Brasil segue mudando. Se antes era tabu falar na devolução de parte dos salários dos funcionários contratados pelos parlamentares, hoje, o tema ganhou relevo. Até os “portões” dos imponentes prédios dos poderes legislativos,  das três esferas governamental do País – municipal, estadual e federal -,   sabem muito bem que a  “jogatina”  acontece em praticamente todas as casas legislativas,  nos mais de cinco mil municípios brasileiros.

Certa vez, em defesa de um operador do então PMDB,  na esfera federal, um advogado disse em alto e bom som: “nenhum prefeito do Brasil coloca uma pedra de calçamento sem antes fazer um acerto”. Moral da história: não apareceu nenhum chefe do executivo para contesta-lo!!

Com relação aos parlamentares brasileiros – vereadores, deputados estaduais e federais e senadores – não se pode jogar todos na mesma vala, mais o esquema é  sabido e convive….Acontece mais ou menos assim:

Nos gabinetes os funcionários de verdade – que dão expediente todos os dias – são os que aparecem com os menores salários. Já os que não “batem um prego numa barra de sabão” aparecem no topo da lista salarial com os maiores vencimentos e vantagens. Moral da história: eles ficam com um certo percentual do salário e devolvem o “resto” (dinheiro) ao operador que, evidentemente, ao final, vai parar no bolso do chefe. Esse esquema é o basicão……

Mas existem muitos outros formatos que também são praticado. As notas fiscais frias, locação de automóveis de mentirinha  e etc.  Ou seja: fora a merreca que é repassada para os  “laranjas”  praticamente todos os valores destinados aos gabinetes  – penduricalhos –  vão parar na “gaveta de pano” do parlamentar….

Tomara que essas operações não parem e sigam na direção das assembleias estaduais e câmara de vereadores……….

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *