Com a radicalização das partes, quem mais perde é o contribuinte!!!

Em recente artigo escrito no blog A voz da Vitória, o consultor financeiro Elias Martins traduziu em números o descompasso do conjunto educacional gerido pelo poder público municipal. Sem querer comparar com o grande desastre nacional, nesse momento, fica-nos a nítida impressão de que, tanto no Brasil quanto no nosso município,  o caos educacional precisa ser enfrentado com seriedade, sem partidarismos ou ideologias políticas e, sobretudo, com determinação e sem demagogias.

Na maioria dos casos o problema não está na falta de recursos – retórica “socorrista” para todo mal nacional. Não! Na qualidade de Nação, somos um dos maiores pagadores de impostos do Planeta,  com um dos menores índices de retorno em serviços, em favor da população. Sobra-nos corrupção em abundância,  má gestão cíclica e obscuridade com a coisa pública.

Em se tratando do nosso município –   Vitória de Santo Antão – acho ser inadiável a aplicação de medidas administrativas amadurecida e abraçadas por todos,   tanto pelos atuais gestores quanto pelo corpo funcional e seus respectivos órgãos representativos  (sindicatos ). Medidas que possa moralizar a prestação do serviço público local. Dentre elas, por exemplo: a implantação do ponto presencial eletrônico.

Continuo a perguntar aos gestores, sindicalistas e funcionários públicos: por que tanto medo da adoção do ponto eletrônico de frequência? Apenas para ilustrar, professores estão totalmente adaptados ao referido sistema nos seus respectivos empregos, nas instituições de ensino particular……..

Nesse contexto, porém, registramos ontem (18) mais um movimento grevista,  promovido pelos sindicatos que representa os funcionários da categoria. Veja O vídeo.

 

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Com a radicalização das partes, quem mais perde é o contribuinte!!!

  1. Davi Neto disse:

    Continuo a perguntar aos gestores, sindicalistas e funcionários públicos: por que tanto medo da adoção do ponto eletrônico de frequência?

    Nobre Pilako, o Governo que não implanta, pois os absurdos são gerados e admitidos por eles, e não pelos funcionários. Se tem funcionário que não vai ao trabalho e na folha vem 100% da frequencia, alguém previamente autorizou a ação, o que não querem é acabar com a boquinha que compactua de ambas partes.

    Porém os professores estão certos, pagar em dia não implica em dizer que se encontra tudo em ordem. Esse prefeito esta sendo uma vergonha, e olhe que votei nele, só lamento minha vergonha de voto e de tantos outros!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *