Revivendo o Carnaval: Célio Meira se irrita com chacota.

Certa vez, uma irreverente toada fez o nosso querido e saudoso Célio Meira se retirar do tablado. Estávamos na fase aguda da primeira grande guerra e Célio era um francófilo capaz de brigar com quem tentasse, nesse particular, combater as suas ideias. Era nosso Ministro do Exterior o dr. Nilo Peçanha. Acontece que a Cambinda para, diante do tablado e ataca:

“O Doutor Nilo Peçanha
Pela Pátria brasileira,
– Mandou chamar Célio Meira
P’ra acabar com a Alemanha”.

Ceciliano não gostou da graça. Essa quadrinha foi atribuída a Samuel Campelo que, no entanto, sempre negou, Teria sido de meu pai, Joaquim de Holanda Cavalcanti. Muitas pessoas o davam como sendo o autor. Não sei…

O que sei é que a “Lagoa do Barro” lembra o Carnaval. Era lá o quartel general da folia, transformada em bosque e, à noite, com sua profusão de luzes, num vasto salão iluminado.

Até 1929, o nosso Carnaval, embora descacterizando-se cada ano, guardou esse aspecto.

Extraído da REVISTA DO INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO – Volume 6º – 1976 – Páginas 102 e 103.
Esta entrada foi publicada em Curiosidades Vitorienses, Editorial, Revivendo o Carnaval. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

3 respostas a Revivendo o Carnaval: Célio Meira se irrita com chacota.

  1. Emanoel Cunha disse:

    Achei muito maravilhosa a matéria divulgada, no entanto, sentir falta de uma explicação sobre esse personagem “Célio Meira”, é ele da cidade de Lagoa de Barro que lembra o Carnaval?
    Poderia me explicar um pouco mais sobre isso, por favor quero adentrar um pouco mais sobre esse fato.

    Atenciosamente
    Emanoel Cunha

    • Amigo Emanoel Cunha
      Fico feliz por ter gostado. Célio Meira, meu avô, foi um atuante escritor vitoriense, Lagoa do Barro é o nome da atua Praça Duque de Caxias, que também já foi chamado de Comércio.

      • Emanoel Cunha disse:

        Incrível não sabia que a duqe recebeu esse nome. Então fica claro que através delas e de suas calçadas que nasceu o Carnaval de Vitória.
        Obrigado pela informação!
        Seu blog é uma ferramenta indispensável para conhecermos de onde vem as ráizes da Cidade em toda sua forma cultural. Parabéns pelo Blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *