Pandemia Coronavirus: um mundo de histórias para ser contadas….

A frase do filósofo chinês Confúcio, que atribui à imagem um poder supremo de relatar/explicar/sintetizar uma complexa situação,  continua imbatível: “uma imagem vale mais que mil palavras”. Quantas palavras, por exemplo, seriam necessárias para dá veracidade ao fato ocorrido em plena Primeira Guerra Mundial,  onde alemães e britânicos – em território belga – deram uma trégua no fogo cruzado para e juntos celebrarem  a magia de uma noite de Natal?

Já com idade avançada o  meu avô Célio Meira, homem culto e de bem com a vida,  quando questionado pela idade, ao invés de lamentar a velhice, dizia com toda segurança: “ eu? Eu sou um homem do século passado (nascera em 1895). Nesse contexto, porém, em tempos de pandemia e inflexão da humanidade que tal jogarmos um facho de luz diferente sobre o momento em que estamos vivenciando?

Apenas e tão somente pelas lentes da história estamos sendo – num só tempo – atores principais e coadjuvantes desse recorte temporal único da espécie humana. Independente da crença religiosa, nesse momento, navegamos num oceano de incertezas, mas com olhar diferente e uma fé única que se renova sempre nos momentos turbulentos.

Mais adiante, quando tudo isso passar, adentraremos num mundo novo e estaremos, com toda certeza,  mais maduros e fortes. Dos mais velhos iremos escutar: “nunca imaginei que fosse viver um tempo desse!” Dos adultos, certamente, ouviremos frases do tipo: “eu pensei que não fosse ter a oportunidade de ver meus filhos crescerem”. Penso que para as crianças e para os mais jovens esse inusitado evento – pandemia – seja o maior de todos os seus aprendizados, afinal o desafio que terão  pela frente – novas tecnologias e suas implicações –  se faz mais que necessário um olhar holístico e plural do planeta que cada dia que passa, convenhamos,  se torna uma aldeia.

Aliás,  aos olhos da historiografia essa é a primeira pandemia totalmente registrada em vídeos e fotos. Narrativas pessoas e coletivas através das muitas plataformas de comunicação e principalmente pelas redes sociais serão uma fonte inesgotável aos pesquisadores do futuro. Que maravilha! Eles irão nos agradecer por dar-lhes  a oportunidade de mergulhar na pandemia do corinavirus (2020) com tantas riquezas de detalhes  e múltiplas visões. Bem diferente das poucas fontes  que tivemos para beber em relação a tantos outros fatos históricos da humanidade. Viva a pandemia do coronavirus!!

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *