O CONSULTOR LITERÁRIO – por RONALDO SOTERO

Com a extinção de algumas profissões, outras surgindo, uma atividade em que realmente existe uma lacuna é a figura do consultor literário. A presença de um profissional com esse raro perfil em uma livraria seria mais importante que o próprio vendedor. Uma livraria não é um lugar comum como um bar, um circo, um mercado popular. É uma espécie de santuário, onde as pessoas que ali frequentam buscam uma proteção espiritual, profissional e de crescimento humano. É ambiente de reflexão, reserva e concentração. Infelizmente, nem sempre é assim, mas tudo depende da educação intelectual e até doméstica do frequentador.

Para ocupar o posto do consultor literário a isenção é indispensável. Uma formação cultural sólida é requisito importante. Se o profissional for tendencioso ou estar a serviço de uma linha ideológica já não atende. Desse modo, o leitor ao procurar essa orientação ou sugestão deve ser recebido de forma amistosa e cordial, porque ele busca uma leitura e a livraria uma venda. Essa relação com o tempo irá sedimentar um convívio, a fidelidade do cliente ao local e a certeza de negócios permanentes.

Há uma série de pressupostos para não perder dinheiro ou frustração com a compra de um livro. O leitor deve saber a linha editorial, há editoras que só publicam autores de esquerda, outras de direita. Com efeito, livros que são lançados por conta de um momento, uma figura notória, uma denúncia. São chamados livros de ocasião, sazonais. Passado o impacto, saem de cena e vão para o encalhe e promoções. Obras sobre a operação Lava jato e seus personagens e figurantes ninguém mais suporta.

Os que permanecem são os chamados “long sellers”, livros que vendem sempre, embora lançado há anos, como “1984” de George Orwell, “O Diário de Anne Frank”, entre outros. Os best sellers (mais vendidos) a maioria são produtos de uma estratégia agressiva de marketing editorial, mas têm tempo limitado, ao contrário dos “long sellers “. O mundo dos livros é oceânico, magistral, enebriante. Consultor literário ou farmacêutico literário, seja qual denominação for, o livro é o remédio , o leitor , a vida.

LER É DESCOBRIR!

Ronaldo Sotero

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *