Rock in Rio – por Raphael Oliveira 

Um evento que é preparado para ser gigante. Essa é a impressão que deu ao passar pela entrada do maior festival de música do Brasil. No último dia 06 de Outubro de 2019, se encerrou a oitava edição deste festival que marcou a história da música brasileira, nos seus primórdios lá no ano de 1985, foi considerado um festival disruptivo que pela primeira vez trouxe grandes nomes do rock mundial para o Brasil.

Desde o primeiro festival,  em 85, tivemos representantes da nossa terrinha marcando presença no evento, como nosso amigo Cristovão, que foi ver o seu grande ídolo,  Ozzy Osbourne,  e acabou perdendo a sua sandália quando os primeiros acordes de guitarra soaram no palco mundo, essa história é um clássico e ele sempre conta nas rodas de conversa com os amigos.

Neste ano de 2019 não foi diferente, uma galera de Vitória de Santo Antão foi acompanhar alguns shows na Cidade do Rock, que aliás, poderia se chamar Cidade Internacional do Rock, pois são muitas línguas, muitas bandeiras de países e muitas culturas, principalmente da América Latina, representadas naquele festival. A grande maioria dos antonenes estavam presentes no dia 04 de Outubro, o famoso dia do Metal, sob um sol digno de Rio de Janeiro, mas que não foi o suficiente para tirar a animação de encarar aquele dia inteiro de shows.

Depois de ver os primeiros shows, e dar uma volta pela gigantesca Cidade do Rock, que além do som, tem muitas outras atrações, como parque de diversões, cidades cenográficas, praças de alimentação, stands de grandes marcas fazendo ações promocionais, chegava a hora de soar os primeiros acordes no palco mundo e acompanhar um showzaço do Sepultura, a partir daquele momento foi só grandes apresentações, onde o ápice foi acompanhar a apresentação da banda Iron Maiden, que fez um show épico, destilando seus grandes sucessos e com uma cenografia de palco de dar inveja, assistir aquela apresentação no meio de um mar de gente com mais de cem mil pessoas, é uma experiência ímpar, apesar de cansativa.

A noite fechou com um grande show da banda Scorpions, onde o corpo já estava esgotado mas os ouvidos ainda pediam por mais Rock n Roll, a banda voltava ao Rock in Rio depois de ser atração no evento em 1985 e nunca mais ter voltado a tocar nele. Foi memorável. Um dia como esse será lembrado para sempre e dividir essa experiência com nossos conterrâneos foi muito prazeroso.

Raphael Oliveira 

 

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *