O sentimento do dia 7 de setembro na Vitória.

Na Terra de Mariana Amália os desfiles alusivos ao dia 7 de setembro, há muito tempo, virou uma grande festa. Nesse dia, circulam nas ruas centrais da cidade pessoas de todas as gerações: avô, avó, pais, tios, jovens, crianças e etc. Em 2019, não foi diferente.

Por opção, da Praça Dom Luiz de Brito, a partir das 17h, observei alguns desfiles. Mais além da sonoridade dos instrumentos, concentrei-me em alguns rostos, sobretudo da garotada que vibrantemente vivenciavam um dia tão esperado, após muita preparação e expectativa.

Por trás de cada criança e adolescente havia uma historia diferente, no sentido do esforço e da dificuldade para a efetivação da respectiva apresentação. Um caldeirão de sentimentos!! Lógico, não esqueçamos, porém,  da apartação com a metrópole lusitana. Ficamos “independentes”, em 1822, mas com um português tomando conta de nós.

Se hoje, na condição de país, temos um território avantajado, devemos agradecer ao “dia do fico”. Sem ele, possivelmente, estaríamos fragmentados. Pernambuco, por exemplo, antes, 1817, já havia dado seu grito de independência. Bom ou ruim? Não sabemos……Num mundo cada vez globalizado, no qual as relações se dão em grandes redes mundiais (comerciais, tecnologias e etc) cada dia que e passa, estamos voltando ao começo, ou seja: todos  junto e misturados…….

Esta entrada foi publicada em A Lupa. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *