Intimidade – por Sosígenes Bittencourt.

No íntimo,

eu não desejaria fazer poesia

com as estrelas,

eu queria fazer um céu

onde o meu leitor pudesse morar,

um sol sob o qual

o meu leitor pudesse se aquecer,

um paraíso onde o meu leitor pudesse amar.

Sosígenes Bittencourt

Esta entrada foi publicada em Fala, Vitória!. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *