Um dia, o meu menino – por Sosígenes Bittencourt

Um dia, o meu menino, como me considerasse velho, deduziu:
– Painho, eu penso que, quando o senhor era menino, o mundo era PRETO e BRANCO.
Eu: – Acabaste de realizar o teu primeiro poema.

Sosígenes Bittencourt

Esta entrada foi publicada em Fala, Vitória!. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *