Pedro Ferrer: um presidente que vai ficar na história……..

Dentro das comemorações de mais um aniversário da Batalha das Tabocas, data Magna da nossa Polis, o Instituto Histórico e Geográfico da Vitória, na noite do último dia 02, quinta-feira, promoveu a inauguração de uma placa em cerâmica,  indicando a Praça Diogo de Braga.

Pois bem, a cerimônia inaugural se deu de maneira rápida e enxuta. Sem muitas delongas o presidente da Casa, professor Pedro Ferrer, realçou, entre outras coisas, que, na medida do possível e dentro de um cronograma financeiro,  a intenção  do Instituto é “chumbar” várias dúzias de placas dessas nos logradouros públicos locais – a placa da Praça Diogo de Braga foi a segunda!!

Lá pelas tantas, diante uma plateia seleta que, ao final da Sessão Solene, ocorrida  no Silogeu José Aragão Bezerra Cavalcanti,  deixou o espaço para prestigiar, na rua,  o evento inaugural, chegou o momento de descerra a placa. Ponto alto das inaugurações…..

Nesse contexto, porém, “nasce”, por assim dizer, dois fatos curiosos que, dentro do que se propõe a série de revistas do Instituto,  são dignos de registros. Primeiro, pelo fato da placa haver sido chumbada numa altura considerável, foi necessário amarrar o cordão no tecido que cobria a mesma. Cordão esse que ao ser puxado não trouxe – como se esperava – o tecido que envelopava a placa. Um certo sentimento de frustração tomou conta da plateia……

Segundo, para não deixar a “peteca cair”, uma vez que estava com o celular filmando a cena,  falei em voz alta: uma pessoa jovem…sobe aqui pela grade, para puxar o tecido……..Antes mesmo de concluir minhas palavras o professor Pedro – inquieto por natureza – já estava, tal qual o homem-Aranha das telas cinematográficas,  escalando o prédio para reparar a falha.

Eu, naturalmente, desliguei o celular e corri ao seu encontro para tentar garantir um mínimo de segurança ao presidente que, já beirando os 80 anos, vez por outra, imagina ser um garoto de 18 ( o que de tudo não é ruim). Evidentemente que fui obrigado a apalpar sua nádegas, mesmo que de maneira rápida e a contragosto – o fiz com todo respeito, claro!!!

Certamente quando o nosso Instituto histórico estiver completando 200 anos, lá em 2150, esse fato irá mostrar aos pesquisadores –  com a fidelidade necessária –  o perfil do atual presidente. Entre tantas qualidades, deduzirão, ao ler as mudas páginas dos livros de história da cidade, que o professor Pedro Ferrer foi um sujeito proativo, ou seja: um líder de verdade!!!

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *