Vocês sabiam que o Pátio da Matriz poderia ser no bairro de Redenção?

Na manhã de hoje (24), ao acessar minha caixa de e-mail, encontrei, enviado pelo primo, amigo e parceiro, Breno Valois, dois registros fotográficos acompanhados pela seguinte mensagem: “Bom dia Primo e Amigo Pilako, venho através deste e-mail lhe presentear com estas duas belíssimas imagens da nossa Matriz de Santo Antão, para os que moram fora, as vejam e deslumbre”. Logicamente, respondi o e-mail agradecendo,  e aqui estou, escrevendo algumas linhas, referente às imagens.

Pois bem, como bom estudioso da história da nossa Polis, hoje, em função do recebimento dessas duas belas imagens, levanto uma questão curiosa, nunca antes suscitada,  para  todos  vitorienses: vocês sabiam que o Pátio da Matriz e a Igreja Matriz de Santo Antão  poderiam ter sido construídas no bairro de Redenção?

Parece estranho, mas não é. Claro que alguém vai discordar, dizendo que o bairro de Redenção surgiu “ontem”, na década de 60, e que teve seu nome inspirado na novela mais longa da televisão brasileira, exibida, naquele tempo, pela TV TUPI. Aliás, quando o bairro de Redenção ganhou forma a nossa cidade já exibia os contornos estruturais, que  basicamente hoje apresenta – apenas para reforçar essa tese.

Para entendermos melhor à questão, por me levantada, devemos voltar no tempo e irmos ao ano de 1626, data do inicio do povoamento das nossas terras, pelo português, oriundo  do Arquipélago do Cabo Verde, mais precisamente da Ilha de Santo Antão, Diogo de Braga.

O que diz um dos livros que contam a nossa história, sobretudo,  o nosso povoamento:

“já havia percorrido uns 50 quilômetros, abrindo caminho entre campos e florestas, quando se deparou com uma bela região formada por duas elevações separadas por um vale, por onde corria um rio, o Rio Tapacurá. Encantado com o que via disse para sua mulher:

– vamos morar aqui.

– era o ano de 1626

Todos concordaram, e com a ajuda dos parentes construiu algumas casas e uma capela foi dedicada a Santo Antão, nome do padroeiro e da Ilha onde nasceram.”

Muito bem, diante da narrativa, eu pergunto:  e se o nosso colonizador, ao invés de  haver escolhido, se fixar  na elevação à esquerda da margem do curso do rio ( Pátio da Matriz ) tivesse escolhido a elevação à direta do curso do nosso Rio Tapacurá?

Logicamente, nossa cidade teria começado aonde é hoje o bairro de Redenção. Simples assim!!! Lá é que estaria edificada a Igreja Matriz de Santo Antão e, consequentemente, o  inicio de todo nosso povoamento, assim como ocorreu com o bairro da Matriz………….

Portanto, para concluir, seguem as belas imagens, registradas pelo equipamento eletrônico (drone) dos irmãos Breno e Bruno Valois,  do nosso Pátio da Matriz. Vale salientar que os mesmos – Breno e Bruno – estão realizando belas fotográfias da cidade, na medida em que estão registrando-a, sob os vários pontos de vista, nas mais variadas localidades. Parabéns aos Valois, Breno e Bruno!!

Esta entrada foi publicada em Editorial. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *