Linchamento é procedimento de bandido

Observem por que sou indignado com linchamento.

“Fabiana Maria de Jesus, 33 anos, moradora do Guarujá, litoral paulista, morreu na manhã desta segunda-feira (5) por causa de um boato, espalhado na internet, de que havia uma sequestradora de crianças na região. A investigação policial aponta para o rumor como motivo do crime e afirma que não havia nenhum boletim de ocorrência sobre sequestro de menores no Guarujá.

Fabiana foi amarrada, espancada e arrastada, no último sábado (3), por um grupo de moradores do bairro Morrinhos, no Guarujá. A agressãofoi registrada em vídeo e, segundo os vizinhos, ela estava apanhando por ser confundida com uma mulher que estava sequestrando crianças na região.”

E agora, quem vai pagar pelo crime? Quantos e quem são os criminosos, covardemente camuflados na multidão ensandecida.

Um homem civilizado jamais faz parte de linchamento. Quem geralmente faz parte de linchamento é alguém que merece ser encarcerado. Não é o ódio a alguém, é o ódio pelo ódio. É buscar no anonimato, sua válvula de escape. São criminosos que buscam justificativa para seus crimes na ineficiência da Segurança Pública. Por que não submetem o acusado e o entregam à Polícia? Por que temem a Polícia? Muitos não poderiam ingressar numa Delegacia, porque seriam presos também. Nunca deem asas a linchadores. Justiça com as próprias mãos nunca é feita por quem tem as mãos limpas. A questão do Brasil não é falta de LIBERDADE, é falta de SEGURANÇA. Bandidos circulando pelas ruas é da competência da Polícia e da Justiça.

Sosígenes Bittencourt

Esta entrada foi publicada em Editorial, Fala, Vitória!. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *