Momento Cultural: FRAQUEZA por ADJANE COSTA DUTRA.

Oh! Senhor, como eu preciso do carinho que está

sumindo como um relâmpago.

Qual é Senhor o fantasma que me persegue e não vejo?

Porém os Teus olhos são a amplidão dos meus dias,

o fortalecimento da minh’alma.

Ao amanhecer estou eu a afagar as minhas dores no soluço

da manhã.

Ao entardecer estou eu aos alpes andinos escalando montanhas

com o canto de uma gaivota perdida…

Ao anoitecer estou eu vestida de branco como fantasma da luz.

Meu sono é o fugir da realidade à procura de um mundo forte e bom.

Minha fraqueza são como as linhas que entrelaçam meu sorriso no

fundo do poço.

Meu ser é como uma sombra que se perde ao amanhecer…

(TAPETE CÓSMICO – ADJANE COSTA DUTRA – 1995 – pág. 28).

Esta entrada foi publicada em Fim de Semana Cultural. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *