Momento Cultural: CASULO – por Rosângela Martins.

 

O meu casulo é como um ventre:

Lar, descanso, refúgio, parada.

Não há dor ou maldade que entre.

Tranqüilo, seguro, minha morada.

E, feito uma borboleta, sinto-me em formação.

Cada som, cada odor, parece me chamar.

Aguça meus sentidos, minha imaginação…

Desperta em mim o desejo de voar.

Mas minhas asas são delicadas e pequenas

E meu vôo é rasante e bem curto.

Mesmo sendo eu consciente e serena,

A minha vontade é apenas um surto.

Porque os cordões ainda estão amarrados.

Nas teias emboladas e grudentas me prendo.

Meus planos e sonhos, abandonados.

Levados pela correnteza a qual me rendo.

“Casulo”, poesia selecionada no concurso nacional novos poetas 2013, que faz parte do livro de antologia de poemas publicada em 2013.

Rosângela Martins

Esta entrada foi publicada em Fim de Semana Cultural. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *