Poeta Rildo de Deus comenta sobre Cine Iracema

Comentário postado na matéria “Matéria Especial: Inauguração do CINE IRACEMA“.

Bem, que postagem colossal, estamos envolvidos demais em relação ao cine-teatro eu fiz uma Cordel nesse tema a uns dias atras, quero compartilhar com os colegas

Iracema, teatro e cinema

Não há prédio mais assombrado
Do que um teatro abandonado
Sete dias da semana
O Iracema seu brilho ainda emana

Nas paredes desse teto
Caipora o cachimbo pita
Sete Flechas e Curupira
Morcego no caminho certo

Mil lugares, esse palco
Camarim pra grande elenco
Rotunda preta suja de talco
Anjo palhaço do céu despenco

Preparei forte feitiço
Pra confundir o coroné
Traição de padim Ciço
Das estrelas vim a pé

Iracema é vossa Pérola
Patrimônio da Cidade de Braga
Estrela da carambola
Cinema, Teatro, cemitério de baga

O Iracema é cenário
De peça do Osman Lins
Soldado que prende Canário
Joana Carolina de patins

Patrimônio registrado
Servindo de abrigo aos ratos
Pois então vai ser resgatado
Evoco também os Literatos

E chamo por minhas Musas
Inspiração da Casa Velha
Iracema tem cortina camurça
Do Teatro a magia vermélha

Nove tias bruxuleando o canto
Secundina Gasparina Moura Severina
Maria Blandina Joana Carolina e Mirandolina
Resquícios de Minerva que me alimenta o pranto

Meu coração pesa pelo Iracema
Entristece demais ver Arquitetura morrer
Corrupta política capital cheiro podre da gema
Os espíritos do teatro não terão como correr

Não há super-homem, messias espero
Que venha além-homem, eu espero pra ver
Oh! Príncipe Vespertino, vem com ouro combater
Nos devolva esse espaço, é o que quero

Trago do peito o sopro da mão
Toco fogo na pira de Iracema
Quem dera eu ter varinha de Condão
Ou uma valiosa Gema

Faria valorosa mágica
Como essa que faço apenas
Uma decisão estratégica
Vestir meu colar de penas

É hora de acordar Iracema
Que dorme no mundo iluminado
Vai acordar já em cena
Pro coroné ficar bestificado

Ao teatro voltou meu palhaço
Com ajuda de cada Encantado
O nome deles escrevi num laço
Despachei pra assombrar coroné safado

Como Cristo expulsou mercadores do templo
Usaremos essa Filosomia de Exemplo
O Signo de Salomão será nosso escudo
Os cinco elementos é a fonte de estudo

O Iracema é nosso, não estou com as chaves
Então entro voando pra levantar grandes traves
O ouro do Príncipe reconstrói velho teto
Teatro Iracema fica a céu-aberto

O sete-estrêlo é reflexo no chão
Ao lado, Orion, cabeça de leão na mão
E Sírios é o cão que vigia o portão
Pra isso meu povo; é só prestar atenção

Rildo de Deus

Esta entrada foi publicada em Editorial. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *