Alemanha 7, Brasil 1

A esperança alimenta-se de vitórias, não de derrotas. De que nos serve esta derrota, para nutrir a esperança de sermos os melhores do mundo, pelo menos em termos de futebol, o que sempre julgamos ser?

Quão ingênuos somos nós. Os alemães nunca se julgaram os melhores do mundo, mas se consideraram capazes de vencer, pelobom uso da inteligência, aqueles que apenas se sentiam os melhores, repousados nas glórias do passado.

E o que fizeram os nossos sapientes competidores? Foram buscar na inteligência aplicada, organizada, disciplinada, no estudo, na ciência, o triunfo almejado. O futebol, faz 6 anos, virou, para os alemães, um tabuleiro de xadrez. Foi uma arrumação tática, comparável a uma imbatível estratégia de operacionalidade de guerra. Foram cinco disparos certeiros, concatenados, em curto espaço de tempo, para abater o inocente inimigo.

E nem precisaram ser violentos, usar a força, nenhuma malícia, o que mais nos humilhou. Aliás, o que pode a malícia contra a sabedoria? Eis o que nos ensina o provérbio: SAPIENTIAM AUTEM NON VINCIT MALITIA.

E, agora, só nos resta uma saída: aprender com a lição. Este é o conselho milenar de um tantra indiano: Quando perder, não perca a lição.

O homem nasceu para ser derrotado, não para ser vencido. Portanto, aprendamos com os alemães, VAMOS ESTUDAR, imitemos nossos inimigos, sejamos humildes e alegres na derrota, que é a melhor forma, o melhor caminho para transformar a inteligência em sabedoria.

Sosígenes Bittencourt

Esta entrada foi publicada em Fala, Vitória!. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas a Alemanha 7, Brasil 1

  1. JORDANIA disse:

    A PERSPICÁCIA RACIONAL DE SUA SABEDORIA TRANSMITIDA AOS SEUS DISCÍPULOS ATLETAS, GERMÂNICOS, DEVE-SE MUITO ÀS BOLINHAS – MASSINHAS “PROTÉICAS”, DENOMINADA POR NÓS DE CATOTA -“FOSFORESCÊNCIA DE SEUS NEURÔNIOS”, QUE O TÉCNICO , JOACHIM LÖW, COSTUMA ESQUADRINHAR E CATÁ-LAS DE SEU NARIGÃO.
    RS, RS, RS

  2. Um país que dança Lepo Lepo, que adora o alvoroço de quadris da Mulher Melancia em 7 rotações, exaltando-os como ícones da BUNDOMANIA nacional, que assassina mais de 50 mil pessoas por ano e que é governado por assaltantes do dinheiro público, não tem qualificação nem para disputar Campeonato de Porrinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *