A Paixão



A paixão é hipnótica,
conteúdo mental invasivo.

A paixão tem vontade própria.
O apaixonado, não.

A paixão é cega e vê,
porque vê o que quer sem entender.

A paixão é sentimento abdominal,
nasce de baixo para cima.

A paixão deve dar um sentido à vida,
não um sentido à morte.

A paixão é o aperitivo do prazer,
não deve virar um porre.

A paixão por coisas é mais serena;
a paixão por pessoas, mais dependente.

A paixão acorda o apaixonado, de madrugada,
para pensar nela.

A paixão é sem explicação,
tendo nada a ver com o seu objeto.

A paixão é suicida, pode matar o amador.
A paixão é homicida, pode matar a coisa amada.

A paixão termina por ganhar da solidão.
Ai do solitário!

Sosígenes Bittencourt

Esta entrada foi publicada em Fala, Vitória!. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *