Afiando a maldade

Pobre que rouba é burro. Rico que rouba é doido. Homem que bate em mulher é covarde. Lugar de ladrão é na cadeia. Lugar de doido é no manicômio. Não há uma linha, em toda literatura jurídica, que mande espancar ladrão. No Brasil, bate-se em ladrão e solta-se o ladrão. Quer dizer, afia-se a maldade do homem e entrega-se à sociedade. Aí, todo mundo paga o pato.

Sosígenes Bittencourt

Esta entrada foi publicada em Fala, Vitória!. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *