Lenga-lenga no Orkut sobre uso de drogas

O ser humano que conhecemos é um ente que deseja. Os brucutus comiam porque sentiam fome. Nós sentimos fome, desejamos comer chocolate. O desejo não busca o prazer, busca um objeto. Tanto que há desejos que buscam o que não dá prazer. Todo ser humano é suscetível de viciar-se. Conhecemos gente que mete o pau em quem bebe e fuma, mas come feito bicho. Vício é todo hábito que faz mal. Há também diferença entre USUÁRIO e DEPENDENTE. O usuário usa, o dependente depende. O usuário usa quando quer, o dependente não consegue parar de usar. O usuário guarda uma garrafa de vinho para beber no sábado com a namorada. O dependente troca os carinhos da namorada pelo vinho. Enfim, se a droga existe e o viciado tem como adquiri-la, não tem como evitar a negociação. É caso sem remédio. Só há duas saídas: ou você tira a droga decirculação, ou pune o viciado pelos ERROS que eventualmente COMETER. Não se combate droga mimando usuário nem enclausurando inocente, com pena nem ódio de quem usa. Drogado não tem que ser acariciado nem castigado. Não se combate droga, criminalizando o uso. Se usar droga fosse crime, porque é vício e faz mal, você não poderia ingerir fritura nem transar com pessoas de grupo de risco. Copiou?

Ébrio abraço!

Sosígenes Bittencourt

Esta entrada foi publicada em Fala, Vitória!. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *