RESENHA ESPORTIVA – por Sosígenes Bittencourt.

(Náutico Campeão Pernambucano de 2021)

Eu procuro ser um torcedor decente. Eu acho que o torcedor deve comemorar a vitória do seu time e não a derrota do seu adversário. Quer dizer, o vencedor deve ter humildade, e o perdedor, dignidade. Fosse assim, não haveria tanta barbárie nas praças de guerra em que se transformam os estádios de futebol, com derramamentos de sangue e morte. Eu não sei por que até os boxeadores se abraçam, de cara quebrada, e torcedores de futebol querem se matar.

O Náutico fez um campeonato para ser campeão, com o mérito da aplicação, da entrega, da disciplina tática e do entrosamento. Parecia até uma equipe formada por “fanáuticos” torcedores do Timbu Coroado.

Ora, se no afunilar do campeonato, o Sport Club do Recife resolveu jogar futebol, o que não fez durante o certame, isto valorizou, com todos os méritos, o vitorioso Leão da Praça da Bandeira, o mais glorioso competidor do futebol pernambucano, o brilhante e feroz animal da ilha do Retiro. E, se o VAR errou, que VAR para o raio que o parta. Não é um caso de polícia nem o juiz da contenda merece ser assassinado. Logo, como leonino ético e digno, que preserva muitas amizades que abraçam o alvirrubro dos Aflitos, quero parabenizá-los pelo que fizeram durante o campeonato e me convidar para o churrasco, regado a loirinha suada em qualquer ambiente sadio da cidade. A vida passa, as glórias e as derrotas também. Portanto, vivamos com Fé, Esperança e Caridade, como nos ensina a Teologia Teologal, a ciência de Deus.

Palmas e muito obrigado!

Sosígenes Bittencourt

Esta entrada foi publicada em Fala, Vitória!. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *