Curiosidades Musicais: Nelson Cavaquinho – Por Léo dos Monges

nelson_cavaquinho

Nelson Antonio da Silva (Nelson Cavaquinho) nasceu no Rio de Janeiro, 29 de outubro de 1911.

Casou-se aos 20 anos com Alice Ferreira Neves, sua primeira companheira, com quem teve quatro filhos.

Nesta época consegue um trabalho na polícia, fazendo rondas noturnas a cavalo.

Autor de mais de quatrocentas composições, entre elas A Flor e o Espinho, Juízo Final, Folhas Secas, Quando eu me chamar Saudade, Rugas e etc.

Nelson teve como seu principal parceiro (Guilherme de Brito), eles fizeram um pacto de só comporem juntos. Nelson era boêmio passava dias na farra e Guilherme era o oposto sempre sereno, calmo.

Quando Nelson era militar, numa noite de farra na Mangueira perdeu o próprio cavalo. Chegando no quartel o cavalo estava comendo sua ração.

“E não é que o danado tava rindo de mim” contou o compositor.

Uma vez, depois de passar três dias farrando longe de casa, ao voltar ficou sabendo que sua mãe havia falecido e já tinha sido enterrada.

Nelson vendia samba para sobreviver. Outro parceiro, (Milton Amaral), contou que fizeram um samba juntos e quando foi a editora para assinar o contato, constatou que já era o 16º autor da música.

Nelson já havia vendido o samba no mínimo 14 vezes.

A Flor E O Espinho

Paulinho Moska

Tire o seu sorriso do caminho
Que eu quero passar com a minha dor
Hoje pra você eu sou espinho
Espinho não machuca a flor
Eu so errei quando juntei minh’alma a sua
O sol não pode viver perto da lua
Tire o seu sorriso do caminho
Que eu quero passar com a minha dor
Hoje pra você eu sou espinho
Espinho não machuca a flor
Eu so errei quando juntei minh’alma a sua
O sol não pode viver perto da lua
É no espelho que eu vejo a minha magoa
A minha dor e os meus olhos rasos d’agua
Eu na sua vida já fui uma flor
Hoje sou espinho em seu amor

Eu so errei quando juntei minh’alma a sua
O sol não pode viver perto da lua

Tire o seu sorriso do caminho
Que eu quero passar com a minha dor
Que eu quero passar com a minha dor

 

leo

 

 

Leo dos Monges

 

Esta entrada foi publicada em Curiosidades Musicais. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *